Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Em ritmo de jogo, Próspera se prepara para a estreia no Catarinense

Antes de encarar o Joinville, clube ainda terá jogo-treino contra o sub-23 do Grêmio
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 14/02/2021 - 15:50
Foto: Lucas Colombo / EC Próspera
Foto: Lucas Colombo / EC Próspera

Restam dez dias para o Esporte Clube Próspera estrear no Campeonato Catarinense, após mais de uma década longe da elite do estadual. O clube, que treina desde a segunda metade do mês de janeiro, vem realizando uma série de jogos treinos para se manter em ritmo para a partida contra o Joinville, no dia 24 de fevereiro.

O clube já realizou três jogos treinos neste mês. O primeiro, ocorrido no dia 3 de fevereiro contra a equipe sub-23 do Avaí, terminou com um resultado bastante satisfatório para a equipe: 3 a 1 fora de casa, com gols de Jessé, Hugo Rangelli e Maicon Santana.

Já na segunda partida, contra a equipe sub-23 do Grêmio, em Porto Alegre, o Time da Raça acabou perdendo pelo placar de 1 a 0. Na última sexta-feira, o clube encarou a equipe profissional do Tubarão e venceu pelo placar de 1 a 0, com gol do volante Eduardo.

O Próspera não parou e, ainda na manhã deste sábado, 13, realizou um treino tático no Estádio Mário Balsini. Já nesta segunda-feira, o clube irá encarar o sub-23 do Grêmio novamente em seu quarto e último jogo-treino de pré-temporada, no Estádio Darci Marini, em Nova Veneza.

Contratações e expectativa contra o Joinville 

O Próspera vem com boas novidades para o Catarinense deste ano. O lateral Sueliton, o volante Lucas Bessa, o meio campo Leomir e os atacantes Maicon Santana e Hugo Rangelli são alguns dos novos destaques do Time da Raça.

O técnico Paulo Baier afirma estar focado na partida contra o Joinville, que até uma semana atrás estava disputando a Copa Santa Catarina. “Na realidade o Joinville sai com uma certa vantagem, já vem um ritmo de jogo e mais solto. Estamos em pré-temporada, perna pesada ainda, o Joinville tem uma vantagem sobre isso porque vem competindo. Mas se a gente quer buscar algo maior, temos que passar por cima disso. Respeitar uma camiseta que é grande e já foi do campeonato da Série A do Brasileiro, mas quando chegar dentro de campo é 11 a 11, e veremos como vamos nos sair”, disse.