Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Em Criciúma, pré-candidato Flávio Rocha defende o livre mercado

Político se diz uma opção liberal e de centro, que pretende libertar o país da burguesia
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 22/05/2018 - 14:57Atualizado em 22/05/2018 - 15:47
(foto: Daniel Búrigo)
(foto: Daniel Búrigo)

O empresário e pré-candidato à Presidência da República Flávio Rocha (PRB) cumpriu agenda em Criciúma nesta terça-feira (22), visitando o Bairro da Juventude. Em entrevista coletiva destacou que sua candidatura tem dois pilares: emprego e família. Candidato liberal, Rocha acredita que o Estado deve ter menos participação em setores fundamentais da econômica.

“O país hoje está escravizado por uma pequena burguesia de 2% que tomaram o Estado para se manterem. Nós precisamos devolver o Estado ao povo brasileiro, ao seus reais donos, que pagam a conta e tem os piores serviços públicos do mundo”, afirmou.

O preço dos combustíveis foi um dos principais assuntos da entrevista, destacando a paralisação realizada por caminhoneiros. “Realmente nós temos um país que deveria ter uma das gasolinas mais baratas do mundo. O livre mercado é a solução para esse e outros problemas brasileiros. Isso gera a falta de Estado onde ele é essencial”, analisou.

Rocha se classifica como uma opção de centro. Segundo ele, deixou sua empresa, a Riachuelo, para ser protagonista e praticamente descarta uma candidatura a vice. “Nós estamos construindo uma sólida candidatura de centro. Temos uma baixa taxa de rejeição, com 5%. Temos uma campanha com musculatura, com agenda intensa. Vamos ser 100% conhecidos até a data das eleições e garantir o segundo turno”, completou o pré-candidato.

Ainda em Criciúma, ele palestrará na Satc, a partir das 19h30, com o tema "O Brasil que queremos em 2022". O evento é gratuito e aberto a comunidade. A organização pede que as inscrições sejam feitas através do site até as 17h.