Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Ele é o olheiro do Criciúma

Benevan Ribeiro, observador técnico da base do Tigre, conta suas experiências
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 11/06/2019 - 18:30Atualizado em 11/06/2019 - 18:39
Divulgação
Divulgação

Antigamente, eles eram os olheiros. Hoje, são os observadores técnicos. O Criciúma tem o seu. Homem que viaja o Brasil em nome do clube, Benevan Ribeiro dos Santos é o responsável pela seleção de atletas Brasil afora para buscar espaço no Tigre.

"Minha rotina é de muitas viagens, a gente quase não fica aqui, e quando fica procuramos trabalhar no cotidiano, observando atletas e carências", comenta, em entrevista ao Timaço, da Rádio Som Maior. "Viajamos a convite de projetos, de clubes, observando competições, torneios e treinamentos, é uma função que a gente gosta de fazer", detalha.

Benevan lembra que a função do observador acaba sendo, também, de realizar sonhos de meninos no futebol. "Realizar o sonho de quem tem qualidade e ajudar suas famílias, que buscam no futebol o sonho de ajudar suas famílias", ressalta.

Onde vão, os observadores geralmente já são aguardados por atletas, clubes e parceiros. "Somos convidados e os atletas já vão sabendo que ali tem vários observadores", afirma. "A gente observa o atleta, a qualidade técnica, habilidade, biotipo. A gente vendo nele alguma condição de evoluir, de ser observado melhor no clube, apanhamos esses dados, nome, idade, altura, peso, posição, e a gente agenda uma data depois dos exames necessários, ele vem para ficar uma semana sendo observado pelos técnicos", detalha.

O Criciúma vem buscando atletas em diversas partes do país. Um dos casos recentes que se destacou foi do atacante Julimar, trazido do interior do Pará. "O Criciúma hoje no Brasil é um dos clubes que oferece essas condições, é bem procurado e poucos oferecem essa estrutura. A partir do momento em que o atleta é selecionado para ser observado a gente oferece alimentação, estadia e condições de treinamento", conta Benevan.

A carreira

Benevan está em sua terceira passagem pelo Criciúma. Em 2011, ele trabalhou no Tigre como auxiliar do técnico Márcio Goiano. Em 2015, na coordenação do time profissional. Voltou em 2016 para, a convite do coordenador Serginho Lopes para atuar como observador técnico da base.

"É uma função que a gente já havia feito faz vários anos no Goiás. Desde os 14 anos trabalhando com futebol, só vivendo de futebol, temos procurado Brasil afora, aqui mesmo na região, trazer valores para o Criciúma que possam um dia se tornar grandes atletas", define Benevan.

O observador do Criciúma foi jogador de futebol. Atacante, atuou por 14 temporadas no Goiás. "Joguei também no Campinense, Náutico, Novorizontino, CRAC de Catalão, Brusque e várias equipes. Era atacante, fui um dos maiores artilheiros do Goiás, fiz muitos gols", relata. "Depois de parar de jogar futebol assumi como técnico das categorias de base do Goiás, do sub-13 cheguei ao sub-18", complementa.

Confira no podcast a entrevista completa: