Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

CPI quer saber qual deputado entrou em contato com Douglas Borba e Márcia Pauli

Durante depoimento, Borba e Pauli citaram que receberam ligações de um deputado, sem citar qual foi o parlamentar
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Florianópolis - SC, 04/06/2020 - 10:32Atualizado em 04/06/2020 - 10:33

A CPI dos Respiradores mandou ofício para os 40 deputados estaduais da Alesc para saber qual parlamentar entrou em contato com a ex-superintendente de Gestão Administrativa Márcia Pauli e o ex-secretário da Casa Civil, Douglas Borba, ambos investigados pela compra dos respiradores mecânicos junto à empresa carioca Veigamed, no valor de R$ 33 milhões.

Pauli e Borba indicaram que recebiam diversas propostas de venda de equipamentos no combate à Covid-19. Ambos citaram que receberam ligações de um gabinete de um deputado da Alesc. Pauli disse que a ligação foi uma forma de pressão para agilizar o passaporte para o representante da Exxomed, Onofre Neto. Segundo a servidora Márcia, o “fornecedor” viajaria para a China em nome do Estado.

Douglas Borba disse que recebeu propostas também de um deputado. Porém, como ambos, Borba e Pauli, estão com os celulares entregues à polícia, disseram não lembrar com certeza qual era o deputado envolvido. Mesmo com a pressão da comissão, os depoentes não citaram o nome.

No começo da sessão desta quinta-feira, o deputado João Amin (PP) parabenizou a presidência da CPI, Sargento Lima (PSL) pelo encaminhamento da notificação. "Essa dúvida que ficou desde a última reunião é muito ruim para os 40 deputados. Não é uma defesa corporativa, quero defender a honra dos 40, inclusive do deputado que a pessoa não se lembra o nome, que é o mais prejudicado no momento. Qualquer medida jurídica que a comissão poder fazer para que essas pessoas 'lembrem', coloco em aspas porque para mim estão omitindo o nome", disse Amin.

"Quero acreditar que a conversa tenha sido republicana, mas enquanto a pessoa não puder identificar o que foi, fica a dúvida entre nós deputados", ressaltou Moacir Sopelsa (MDB). Kenedy Nunes (PSD), no entanto, levantou cautela sobre o tema. "Queria chamar a atenção dos colegas para que a gente não faça disso o foco. Que a gente foque no centro principal, que é a compra de R$ 33 milhões". 

Nesta quinta-feira, o empresário Onofre Neto será ouvido pela CPI. Também haverá o depoimento do atual secretário de Saúde, André Ribeiro Mota. 

Tags: respiradores