Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Covid-19: Em dez dias, trinta casos no asilo

Situação estava sob controle, até que os registros começaram no último dia 5 no São Vicente de Paulo. Um casal faleceu
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 16/09/2020 - 14:58Atualizado em 16/09/2020 - 15:13
Cuidados redobrados no Asilo São Vicente de Paulo / Divulgação
Cuidados redobrados no Asilo São Vicente de Paulo / Divulgação

Não é novidade que os idosos formam o maior grupo de risco em se tratando de Covid-19. Grande parte das vidas levadas pelo coronavírus na região, desde o início da pandemia, são de homens e mulheres com 70 anos ou mais. Essa preocupação se potencializa em um espaço onde as pessoas de idade convivem, como as chamadas Instituições de Longa Permanência para Idosos, os asilos. 

Na principal entidade de Criciúma do gênero, o Asilo São Vicente de Paulo, a situação vinha sob controle nos últimos meses, até que um verdadeiro surto disparou a partir do último dia 5. "Passamos quase seis meses em tranquilidade, mantendo todo o controle. A partir do outro sábado, veio em grande quantidade, e tivemos trinta contaminados", contou o presidente do São Vicente, José Hélio de Lucca.

Entre os 30 contaminados pelo coronavírus, o asilo registrou o óbito de dois residentes. "Foi um casal, ele já tinha outras complicações, teve parada cardíaca e infelizmente faleceu. Ela estava até bem, tinha alguns sintomas leves mas repentimente faleceu também", lamentou. Os dois tiveram Covid-19 como causa da morte atestada e foram a óbito na semana passada.

Com a pandemia, as visitas dos familiares aos idosos no asilo são assim, à distância

O asilo chegou a ter 29 dos seus residentes sob cuidados no Centro de Tratamento Coronavírus (CTC), montado pela prefeitura no Rio Maina. "Um dos nossos idosos ficou no Hospital São José, depois tivemos quatro que foram transferidos para o Hospital São Roque em Morro da Fumaça, agora, aos poucos, eles estão voltando para o asilo", destacou o presidente.

Mais dificuldades

Problemas também entre os funcionários. "Temos 45, mas atualmente 11 estão afastados, alguns com outros problemas de saúde, outros positivados para coronavírus. Com isso a situação hoje está bem complicada no asilo", reconheceu Hélio. 

Uma das muitas doações entregues no São Vicente de Paulo

E com tudo isso a manutenção da casa ficou bem difícil. "Caiu muito a receita, e tivemos que aumentar a despesa para incrementar a proteção aos nossos idosos", observou. "O povo de Criciúma sempre ajudou muito, mas estamos muito carentes de recursos agora. Estamos com campanhas na rua e precisamos do apoio das pessoas", pediu. "Havia também os parceiros, que ajudavam com recursos e com voluntários, mas com a pandemia eles acabaram tendo que se afastar", frisou.

Como ajudar

"Temos campanhas constantes de arrecadação de alimentos", lembrou o presidente Hélio. Quem quiser colaborar pode acompanhar a lista que o São Vicente publica nas redes sociais. Confira abaixo:

O Asilo São Vicente de Paulo está participando de uma campanha do Instituto Claro. "A Claro TV cadastrou entidades em todo o Brasil para ganhar cestas básicas, e o Asilo São Vicente de Paulo foi incluído. Estamos lá no site da campanha, pedimos que as pessoas acessem e ajudem", convidou a analista de captação de recursos do asilo, Izamara Fabre. Acesse o site da campanha Conexão contra a Fome, da Claro, clicando aqui.

É possível, também, contribuir com o asilo via fatura de energia da Celesc. "A pessoa tem que entrar em contato com o asilo e preencher um formulário autorizando o débito, com o valor que quiser contribuir a partir de R$ 5", explicou.

Confira também - Via fatura de energia, um auxílio ao Asilo São Vicente de Paulo

"Pode ser tanto pessoa física quanto jurídica", sublinhou Izamara. Mais informações podem ser colhidas pelo telefone (48) 3433.2272.

Izamara é analista de captações do asilo

"Estamos também participando da promoção de um costelaço drive thru do Lions Clube com a Cervejaria Santa Catarina, que vai acontecer em outubro. Parte da renda virá para o asilo, convidamos todos a participar", encerrou Izamara.

Tags: coronavírus