Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Constelação Familiar: a técnica que promete mudar vidas

No Programa Do Avesso, a consteladora Marileide Guse explicou como essa terapia pode solucionar grandes problemas
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma, SC, 22/10/2019 - 15:35Atualizado em 22/10/2019 - 15:42
Foto: Pity Búrigo / 4oito
Foto: Pity Búrigo / 4oito

Todo mundo já ouviu comentários como “você tem o temperamento da sua mãe” ou, até mesmo, “você é emotivo igual a sua avó”. Para explicar esses comportamentos e características que nos assemelham aos nossos familiares,  o Programa Do Avesso recebeu nesta terça-feira, 22, a consteladora Marileide Guse.

Ela trabalha com Constelação Familiar, técnica terapêutica responsável por estudar os padrões comportamentais de grupos familiares que passam de geração em geração. “Nós somos todos uma constelação, pois não vivemos sozinhos. Nossa família é uma constelação. Nós estamos agrupados e, se não for numa família, é em uma empresa, em um time de futebol, em uma ideia ou em algo que a gente gosta e, dentro desse grupo, nós temos alguns hábitos e comportamentos”, explica Marileide.

Negar ou estar de mal com um membro familiar é algo que, segundo a Constelação, pode acabar influenciando diretamente em nosso trabalho, saúde, relacionamentos e, até mesmo, em toda a nossa vida. “Quando você está em equilíbrio com a sua família de sangue, você acaba também estando em equilíbrio com as outras [famílias], como no trabalho, por exemplo”, destaca.

Segundo a consteladora, é preciso aceitar e estar de bem com as pessoas de nossa família porquê, caso não estejamos, alguém irá “assumir” assumir o papel daquela pessoa e agir igualmente a ela. Quando falamos que não gostamos do comportamento do nosso pai, por exemplo, estamos sujeitos à agir exatamente igual à ele, ou algum parente nosso passará se comportar desta forma.

“A constelação é feita com demonstrações. Em um trabalho numa empresa, por exemplo, vamos colocar um papel no bolso de alguém, sem essa pessoa saber o que está escrito, e o papel estará representando cada pessoa da empresa: um será os clientes, o outro o dinheiro que entra nessa empresa. Essas pessoas vão agir nesse grupo de acordo com o que está escrito no papel, mesmo que elas não saibam o que está escrito nele”, explica a consteladora. 

O papel da constelação, segundo Marleide, é entender o que está por trás do ato de não gostarmos de alguém e identificar uma solução para esse problema, a partir do estudo desses comportamentos repetitivos.

”Teve uma constelação em que o rapaz veio porque já tinha aberto duas empresas, que haviam falido, e essa era a terceira empresa que estava também com problemas. Ao decorrer da constelação se percebeu que o problema dele era com o seu pai. Ele transferia para a empresa o sentimento que ele tinha em relação ao pai, em que queria exterminar o pai mas acabava exterminando a própria empresa”, conclui Marileide.