Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Cerca de 65% das obras da Serra da Rocinha já estão prontas

A previsão é de que o trecho catarinense da obra seja entregue em dezembro deste ano
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Timbé do Sul - SC, 28/01/2020 - 10:15Atualizado em 29/01/2020 - 11:54
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

Prevista para ser inaugurada em dezembro de 2020, as obras da BR-285 da Serra da Rocinha, no trecho de Timbé do Sul que irá ligar Santa Catarina ao Rio Grande do Sul, continuam avançando. De acordo com o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte de Santa Catarina (DNIT-SC), Ronaldo Carioni Barbosa, 65% das obras já estão concluídas.

Até agora, oito quilômetros de pavimento flexível, também conhecido como pavimento asfáltico, já foram implementados no início da subida da Serra, assim como três quilômetros de pavimento rígido, executados na área mais crítica do local. Além disso, três viadutos já estão completamente prontos, restando apenas um - que deve ser inaugurado ainda em março. 

Apesar de tantas etapas já concluídas, o superintendente do DNIT-SC afirma que existem muitas coisas a serem feitas aindas, mas que serão devidamente entregues em dezembro deste ano. “Tem bastante coisas a serem feitas, mas nada que a engenharia não consiga fazer, então estamos bem otimistas. Tem algumas contenções a serem feitas, mas isso já está no escopo, temos o domínio destas situações. Restam fazer  algumas contenções, avançarmos e finalizarmos com toda a questão da vegetação e entregar a obra em dezembro”, afirmou Ronaldo.

Quanto aos recursos para execução das obras na Serra da Rocinha, Ronaldo destaca que o orçamento de R$ 35 milhões não será o suficiente para a conclusão, mas que já há confirmação de um novo repasse para a metade deste ano. “A direção do DNIT já nos deixou tranquilos que, a partir de julho ou agosto, teremos uma complementação. É o objetivo do ministério entregar esta obra que é de suma importância para o desenvolvimento de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul”, disse.  

Pós obras da rodovia

A questão de pós obras também é algo discutido pela equipe do DNIT de SC. Segundo Ronaldo, discussões internas de projetos apontam que o limite de velocidade no trecho catarinense da Serra deverá ser de 30 km/h, a fim de proporcionar segurança aos motoristas que por ali passam. 

A iluminação também é outra prioridade do DNIT nesta obra, e deverá ser implementada assim que toda a parte de pavimentação estiver pronta. “A não colocação de iluminação na Serra acabaria sendo um potencial para que aumentasse o risco de acidentes para os usuários”, disse Ronaldo.

Já a conta dessa iluminação ainda há de ser debatida pelo DNIT e pelo estado. “Estamos buscando alternativas para iluminação sustentável, algo que o DNIT vai buscar e discutir na direção geral, para poder tirar esse encargo do município que é pequeno”, disse o superintendente. 

Apesar disso, Ronaldo afirma que na pior das hipóteses o município de Timbé do Sul viria a arcar com os gastos da energia, já que, diferente do DNIT, ele possui a arrecadação do Cosip. “Neste primeiro semestre o DNIT está buscando equacionar esta situação, para que não tenha esse encargo de energia para a prefeitura de Timbé do Sul”, concluiu.