Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Bolsonaro destaca medidas para que as placas do Mercosul não trouxessem prejuízos 

Presidente usou o Twitter para falar sobre o assunto, que será definitivo a partir do dia 31
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 22/01/2020 - 16:49Atualizado em 22/01/2020 - 16:51
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

A partir do dia 31 deste mês o uso da placa do Mercosul passará a valer em todos os estados do Brasil. Quem comentou sobre o assunto foi o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), por meio do Twitter. Ele dividiu o assunto em cinco tópicos, falando sobre a medida que foi adotada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

“As primeiras tratativas para unificar os modelos de placas dos países do MERCOSUL iniciaram em 2010 durante o governo Lula. A placa MERCOSUL foi efetivamente criada em 2014, no governo Dilma, já com a participação da Venezuela”, publicou o presidente.

A implantação do sistema no Brasil foi adiada seis vezes depois da data prevista inicialmente, o primeiro anúncio foi realizado em 2014, sendo que o sistema deveria passar a vigorar em 2016. As placas já estão sendo utilizadas no Uruguai e na Argentina, em breve devem funcionar também no Paraguai e na Venezuela.

“Nosso Governo, visando não trazer prejuízo para os proprietários fez alterações na nova placa. Retiramos a exigência de chips e dispositivos refletivos, por exemplo”, citou Bolsonaro. “Não será exigido a troca de placas. As atuais valerão até o fim da vida útil do veículo. Placa nova apenas para carros novos ou em caso de furto ou dano”, completou.

Bolsonaro aproveitou ainda para falar sobre outras alterações que foram realizadas, para que, segundo ele, os motoristas gastassem menos.

“Da maneira como estava previsto na Resolução 729/2018 (anterior ao atual governo), as placas custariam o dobro do preço das atuais e todos seriam obrigados a trocá-las. Seria um negócio bilionário para os fabricantes de placas evitado por nós”, frisou.

O presidente terminou falando sobre a economia que resultará das alterações. “Não será mais necessário trocar de placas sempre que trocar de município. As medidas adotadas significam R$ 2 bilhões/ano de economia para sociedade”, concluiu.