Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

As despedidas a Roberto Angeloni em Criciúma

Empresário está sendo velado no Crematório Millenium, em Içara
Denis Luciano / Guilherme Nuernberg Içara, SC, 29/06/2020 - 10:45Atualizado em 29/06/2020 - 10:47
Foto: Guilherme Nuernberg / 4oito
Foto: Guilherme Nuernberg / 4oito

Em uma cerimônia restrita a familiares, começou por volta das 9h desta segunda-feira, 29, o velório do empresário Roberto Angeloni no Crematório Millenium, em Içara. Aos 51 anos, ele faleceu vítima de um acidente na BR-101, em Biguaçu, no começo da tarde deste domingo, 28.

Pai de Roberto, o empresário Antenor Angeloni não compareceu às despedidas. Com 84 anos, ele atende recomendação médica de isolamento domiciliar por conta da pandemia de Covid-19. O velório, embora com fluxo constante de parentes e amigos, conta com respeito às normas de segurança e distanciamento. Depois das homenagens fúnebres, o corpo será cremado.

Confira também:

Luto: Antenor perde Roberto Angeloni, o seu primogênito

Governador envia nota de pesar à família Angeloni

PRF confirma a morte de Roberto Angeloni em acidente

"Estamos aqui prestando uma homenagem ao Roberto, à família. Uma pessoa simples, querida, atenciosa, um visionário, ampliando a rede do Angeloni no Paraná, por isso estava lá", comentou o deputado estadual Luiz Fernando Vampiro, um dos amigos de Roberto que compareceu ao velório. "Era uma pessoa de belo convívio, que não falava mal das pessoas. Uma pessoa que viveu obviamente esse tempo sempre regando o bem e fazendo o bem", relatou. "É um momento de dor para a família, tem vários amigos aqui prestando homenagem", destacou.

Vampiro enalteceu o espírito simples e empreendedor do agora saudoso amigo. "Era uma pessoa discreta, a discrição fazia parte da vida dele, era uma pessoa empreendedora, arrojada, nas suas conversas sempre pragmático e determinado. Uma pessoa que conseguiu ampliar bastante a Rede Angeloni no Paraná, tendo muito sucesso, sendo referência nesse modernismo, na vanguarda dos produtos, das ações. Por isso ele era um empresário de sucesso", registrou, lembrando a atuação profissional de Roberto, que era gerente de Operações da Rede Angeloni. "Foi uma fatalidade, não há dúvida, pega a todos de surpresa, mas faz parte da vida, todos nós um dia iremos, temos que nos preparar", reforçou o deputado.

Roberto Angeloni deixa o pai Antenor, a mãe Nolênia e os irmãos Cristina e Henrique. Ele era solteiro e não tinha filhos.