Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Anti-petismo, conservadorismo e distanciamento da política tradicional

Cientista político, Humberto Dantas, explica o fenômeno Bolsonaro
Redação
Por Redação Criciúma - SC, 22/10/2018 - 10:40Atualizado em 22/10/2018 - 17:23

O candidato à presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, lidera as intenções de voto em Santa Catarina. Conforme pesquisa Ibope, divulgada no fim de semana, Bolsonaro tem 74% dos votos válidos, enquanto Fernando Haddad, do PT, tem 26%. A “onda Bolsonaro” influencia também as eleições para o Governo de SC. No estado, o candidato do PSL, Comandante Moisés, tem 59% contra 41% do concorrente Gelson Merisio, do PSD.

“É um fenômeno associado a um resgate significativo de alguns valores da sociedade brasileira que, para alguns, são valores associados a uma lógica mais conservadora e para outros contrariam os seus desejos e vontades. Bolsonaro consegue resgatar, de certa maneira, aspectos ligados a uma lógica conservadora e de um combate a corrupção, apesar de ser questionado por seus adversários sobre isso. Bolsonaro consegue capturar essa insatisfação com a corrupção, com o PT e também o resgate de valores conservadores associados a tradições familiares que costuma agradar uma parcela do eleitorado”, analisou Humberto Dantas, cientista político, doutor pela USP e pesquisador da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP).

Dantas diz que o candidato a presidência pelo PSL consegue angariar votos se afastando da política tradicional. "A gente não pode deixar escapar o fato de que é um parlamentar com cerca de seis ou sete mandatos consecutivos. Mas as pessoas conseguiram enxerga-lo de forma diferente dos demais políticos", afirmou.

Confira a entrevista completa: