Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Ameaçado, Ricardo Guidi não perde a cadeira na Câmara Federal

Deputado Federal continuará com o seu mandato
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 04/03/2020 - 08:18Atualizado em 04/03/2020 - 08:18
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

Foi decretado na noite desta quarta-feira, 3, que o deputado federal Ricardo Guidi (PSD) continuará ocupando a sua cadeira na Câmara Federal. Guidi estava ameaçado de perder o seu mandato e a vaga na Câmara devido a um processo gerado pelo PT, que pedia pela validação dos votos de uma deputada que acabou desistindo de sua candidatura em 2018.

Caso o processo fosse validado, o PT ganhava mais 200 votos (advindos da deputada que desistiu da campanha) e ganharia uma cadeira no Congresso. Sendo assim, o PSD perderia uma dessas cadeiras e Ricardo Guidi passaria a ocupar o cargo de suplente.

“Estou muito mais aliviado agora, podendo planejar o meu mandato para curto, médio e longo prazo, para fazer um grande trabalho em Brasília, pensando nas mudanças que o Brasil tanto vem precisando e vem passando ao longo do último ano. Com certeza, com planos muito mais ousados daqui pra frente”, ressaltou o deputado.

Após a tensão gerada pelo processo, Guidi destaca que segue suas atividades sem mudanças de pautas - mas sim de planejamento. “Sabemos que temos mais ou menos três anos de mandato pela frente e, com isso, conseguimos organizar e planejar melhor, com mais tranquilidade. A pauta principal do nosso mandato é o olhar atento à nossa região, mas também ao Brasil”, disse.

Serra da Rocinha

O deputado se encontrará ainda na manhã desta quarta-feira, juntamente com a bancada do PSD, com o presidente Jair Bolsonaro para um café da manhã. Além do debate de pautas comuns entre o presidente e a bancada do partido, como as reformas que estão sendo aplicadas no brasil, Guidi ressalta a discussão de um assunto regional: a Serra da Rocinha.

“Vamos aproveitar para defender algumas pautas nossas, como a necessidade da Serra da Rocinha que, apesar de estar em andamento, ainda precisa do término do trecho gaúcho. Isso vai aumentar muito o movimento naquela região até o Porto de Imbituba, gerando um corredor econômico muito bom para a nossa região”, concluiu.