Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Alesc aprova devolução simbólica do mandato de políticos cassados pelo regime militar

Entre os políticos, Manoel Dias é o único que permanece vivo. Medida não terá custo aos cofres públicos
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 07/06/2018 - 10:13Atualizado em 07/06/2018 - 10:21
Manoel Dias (foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)
Manoel Dias (foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)

Deputados da Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovaram por unanimidade o projeto de resolução que devolve, de forma simbólica, os mandatos de deputados estaduais e vice-governador cassados durante o regime militar (1964-1985). A proposta é de autoria do deputado Dirceu Dresch. Uma solenidade para marcar a devolução será realizada na Alesc.

A medida beneficiará os ex-deputados estaduais: Ado Vânio de Aquino Faraco (PTB, cassado em 12 de junho de 1964); Evilásio Nery Caon (MDB, cassado pelo AI-5 em 1969); Fernando Brüggemann Viegas de Amorim (Arena, cassado pelo AI-5 em 1969); Genir Destri (MDB, cassado pelo AI-5 em 1969); Manoel Dias (MDB, cassado pelo AI-5 em 1969); Paulo Stuart Wright (PSP, cassado em 1964); Waldemar Sales (Arena, cassado pelo AI-5 em 1969). Além do x-vice-governador do Estado, Francisco Dall'igna (PTB, cassado em 19 de julho de 1966).

Dentre eles, apenas Manoel Dias permanece vivo. “Este gesto é um resgate político em função de uma cassação promovida pelo regime militar, sem que fosse instaurado o processo regular. Foi uma cassação política. Então é um gesto político de reestabelecer, perante a sociedade, junto a um pedido de desculpas. É um gesto político, não tem conotação peculiar. É um resgate perante a sociedade”, comentou Dias.

A medida não trará nenhum custo aos cofres públicos, uma vez que a restituição é apenas simbólica.