Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

“A pergunta que deveria ser respondida amanhã é onde está o dinheiro, mas acredito que não será”, fala ex-desembargador sobre impeachment

Tribunal Especial do Impeachment, com dez integrantes, se reúne nesta sexta-feira para definir o futuro de Carlos Moisés
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 06/05/2021 - 19:50Atualizado em 06/05/2021 - 19:54
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O ex-desembargador e ex-juiz federal, Jorge Maurique, salientou em entrevista à Rádio Som Maior que, independente do resultado do Tribunal Especial do Impeachment do governador Carlos Moisés da Silva (PSL), há uma pergunta que precisaria ser respondida nesta sexta-feira, 7. “Onde está o dinheiro? Esta é uma pergunta que gostaríamos que fosse respondida amanhã. Há esperança de se recuperar, mas é muito mais uma esperança que uma realidade. Não se sabe na realidade como se chegou a este ponto. A grande questão do ponto político é: está tudo certo? Podia ser feito assim? Esta é a grande questão que os políticos precisam responder amanhã. Podem dizer se podia ser feito como foi e o governador volta a governar, ou dizem que não e aprovam o impeachment, mas a pergunta que deveria ser respondida amanhã é onde está o dinheiro, mas acredito que não será”, disse.

Confira também:

Na Som Maior, programa especial sobre julgamento do impeachment

Adelor Lessa - Lewandoswki nega pedido e Tribunal do Impeachment está confirmado

Ricardo Roesler rejeita pedido de transferência do julgamento do impeachment

Maurique ainda disse acreditar que os votos deverão ser longos. “A tendência é que cada um explique a razão dos votos. tem que dizer porque estão votando. Temos que entender que é um momento histórico, não se vota o impeachment de um governador todos os meses. Acredito que teremos votos longos”, citou.

Confira também:

“O ideal é que o governador renunciasse e nos deixasse em paz”, diz Naatz

“Nós esperamos que a justiça seja feita”, declara um dos autores do pedido de impeachment

Defesa reafirma confiança na inocência de Carlos Moisés

“É injusto dizer que são R$ 33 mi porque R$ 14 mi foram recuperados”, fala ex-secretário Buligon