Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O ano do Sul catarinense

Presidentes de Criciúma, Próspera e Caravaggio falam sobre as expectativas para 2022
Por Vítor Filomeno Edição 07/01/2022

O ano de 2021 já terminou e será lembrado com carinho pelos times do Sul catarinense. Por conta da boa última temporada, Criciúma, Próspera e Caravaggio entram na nova etapa com maior empolgação, mas com maiores responsabilidades. Há alguns meses, os três clubes já vêm planejando 2022, em que disputarão cinco competições ao todo.

Tradicional time amador, o Caravaggio estreou profissionalmente em 2021, surpreendendo a todos quando conquistou o acesso ao Campeonato Catarinense da Série B de 2022. Com ótima campanha, os neovenezianos terminaram a fase classificatória da terceira divisão estadual no primeiro lugar, com 21 pontos ganhos, com sete vitórias e uma derrota. O título não veio, terminando com o vice-campeonato após perder para o Blumenau.

Na temporada de retorno à elite do futebol catarinense, o Próspera fez bons jogos e chegou às quartas de final da competição, garantindo uma vaga no Campeonato Brasileiro da Série D. A conquista se deu após a eliminação do Catarinense para o Avaí e à soma de resultados da rodada. Assim, em 28 de abril, o Time da Raça já estava confirmada na quarta divisão neste ano.

O 2021 do Criciúma foi de redenção. A inédita queda para a segunda divisão de Santa Catarina, após péssima campanha, atordoou os torcedores, marcando o dia 21 de abril negativamente na história do clube, quando foi rebaixado pelo Avaí em pleno Heriberto Hülse. A volta por cima foi sacramentada no dia 06 de novembro, depois do Tigre vencer o Paysandu, em Belém, conquistando o acesso à Série B do Brasileirão.

Após um ano repleto de sucessos dos três clubes, 2022 promete. O Criciúma disputará o Catarinense Série B, a segunda divisão do Brasileirão e a Copa do Brasil. O Próspera entrará em campo pela elite estadual e pela Campeonato Brasileiro da Série D. Por fim, o Caravaggio, em seu segundo ano no profissional, jogará apenas a Série B catarinense. Mas o que eles estão planejando para este ano? Quais decisões os respectivos presidentes estão tomando para formar bons times, que possam fazer bonito nas competições que terão?

Caravaggio busca repetir o sucesso de 2021

O primeiro ano como profissional foi inesquecível para o clube de Nova Veneza. O bom desempenho em campo foi elevando as metas da diretoria ao longo da temporada, que começou cautelosa, mas teve muito do que se orgulhar ao final da competição. Durante o campeonato, o que antes era um simples desejo quase se tornou um título da Série C do Campeonato Catarinense.

“O objetivo do Caravaggio no último ano era fazer um bom campeonato. No primeiro jogo, apesar da derrota, vimos uma tendência de melhora e isso aconteceu. Conforme foi se ganhando os jogos, o clube almejou o acesso e ele veio. O terceiro planejamento foi conquistar o título, o que, infelizmente, não aconteceu”, afirmou o presidente Samuel Milanez.

Para 2022, o objetivo inicial se mantém prudente, de acordo com o dirigente. O que empaca o planejamento para este ano são as indefinições da Federação Catarinense de Futebol (FCF) quanto às datas de disputas e à fórmula da competição. Circula entre os clubes a informação de que, no dia 20 de janeiro, haverá congresso da federação para determinar essas questões.

“A principal meta deste ano é disputar a Série B do Catarinense. Como vai ser não se sabe. Nós vamos aguardar esse congresso e a definição da fórmula de disputa para enfim dar o encaminhamento ao planejamento de 2022. O projeto inicial do Caravaggio é se manter na Série B. Após confirmar a permanência, pensar-se-á como se vai almejar algo a mais no campeonato”, contou Milanez.

Com o futuro ainda em aberto, o Caravaggio não possui uma previsão de receita para o departamento de futebol, possuindo apenas 300 sócios no fim do ano passado. A ideia é poder chegar a 500 associados no primeiro trimestre de 2021, além de contar com o apoio financeiro de instituições neovenezianas e da localidade homônima.

“Estamos conversando com as empresas que nos ajudaram em 2021. Depois de todos os patrocínios fechados, vamos repassar um orçamento para o futebol. É possível que orçamento tenha um aumento de mais de 50%, porque vai ser um campeonato muito disputado, até pela força que vai vir o Criciúma, que, dificilmente, não vai subir. Além disso, agora há o risco do rebaixamento também”, disse o presidente Samuel.

Série A estadual e Brasileirão Série D à vista

A volta à primeira divisão do Campeonato Catarinense foi surpreendente para o Próspera. A ida às quartas-de-final da competição garantiu ao Time da Raça uma vaga no Campeonato Brasileiro da Série D. Além disso, a queda do seu conterrâneo fez com que se tornasse o único representante de Criciúma na elite estadual, o que aumentou a responsabilidade prosperana.

“Estamos nos preparando [para a competição]. Conversamos, no início de dezembro, com alguns atletas, justamente para termos já preparado o grupo de jogadores porque sabemos que, no dia 23 de janeiro, teremos o primeiro jogo e depois não paramos mais. Hoje, temos um elenco de 28 jogadores. Com a base, chega a 33. Temos um orçamento para trabalhar com R$ 90 mil por mês somente para o futebol”, contou o presidente do Próspera, Israel Alves.

A escolha de um treinador para gerenciar o grupo de atleta passou por algumas etapas, como compatibilidade de ideias e perfil técnico, de acordo com Alves. A direção depositou suas fichas na contratação de Emerson Cris, que teria todas as qualificações esperadas pelo clube. O profissional de 43 anos foi anunciado em novembro de 2021, já visando a competição estadual deste ano.

“Conversamos com outros profissionais antes de fechar com o Emerson Cris. Analisamos o perfil de cada para ver se encaixava com o que o Próspera pensa. Já que vamos atuar com atletas jovens, nós precisávamos de alguém com perfil formativo. Precisávamos de alguém que pudesse entender que o atleta 98, 99 e 2000, embora seja um profissional, precisa de correção em alguns aspectos técnicos. Então, fomos atrás desse técnico e hoje o temos”, garantiu o dirigente.

Outra medida para tornar o clube ainda mais forte nesta temporada é a parceria com o ex-jogador André Santos. O ex-lateral-esquerdo da Seleção Brasileira e de diversos times, como Corinthians, Flamengo, Arsenal (Inglaterra) e Fenerbahçe (Turquia), age como um intermediador entre o Próspera e investidores, patrocinadores e agentes do futebol, divulgando o Time da Raça pelo Brasil e pelo mundo.

“O André Santos é um grande parceiro. Ele está conseguindo gente para colocar dinheiro no Próspera. A gente vem construindo uma rede de contatos para o nosso propósito de transformar o clube”, afirmou Israel Alves. A ideia é que o Próspera saia dos muros do Estádio Mário Balsini, dos limites municipais e estaduais, tornando-se uma marca maior.

O clube também passa por reestruturações no seu campo, com a troca de gramado e outros reparos, para que possa jogar em casa durante o Campeonato Catarinense. A primeira partida sob seu mando de campo será em Tubarão. Segundo a FCF, um time pode mandar apenas dois jogos fora de sua cidade sem receber uma multa. Ultrapassando esse limite, é aplicada uma penalização única de R$ 60 mil.

Grandes expectativas no Heriberto Hülse

A queda para a segunda divisão do Catarinense e o acesso para a Série B do Brasileirão marcaram o 2021 do Criciúma. Mesmo com a disputa da competição de segundo escalão do estado, o Tigre tem grandes expectativas para a temporada, com três campeonatos importantes. Mas, segundo o presidente do clube, Anselmo Freitas, o foco é o Brasileiro.

“Vai ser um desafio muito grande esta Série B do Brasileirão. Está quase uma Série A, com Grêmio, Cruzeiro, Vasco, Bahia, Sport e outros times. Estamos planejando ainda a B do Catarinense, porque se pensou, primeiramente, em fazer dois times com dois treinadores. O foco será 90% no Campeonato Brasileiro da Série B, porque ele vai dar para o Criciúma sustentabilidade financeira em 2023”, afirmou Anselmo.

A segunda divisão catarinense ainda não tem data definida, nem formato estabelecido, e vai conflitar o calendário do Criciúma, já que será paralela à Série B brasileira. O clube até tentou, junto à FCF, o adiantamento do calendário, o que foi rejeitado pelos outros times. Sobre a disputa da competição, o presidente do Tigre pregou respeito aos adversários.

“Futebol é onze contra onze. Não vou menosprezar nenhuma equipe da Série B do Catarinense. Temos de levar muito a sério, porque tem times que vão se fortalecer com atletas que vão disputar a Série A do Catarinense. Por isso que eles não quiseram antecipar a disputa da segunda divisão”, disse ele.

A montagem do elenco para todas as competições já começou. O Tigre já acertou a contratação do meia Renan Bressan e dos atacantes Tiago Marques e Lucas Xavier. Além deles, tiveram seus contratos renovados os goleiros Gustavo e Alisson, os laterais Claudinho e Hélder, os zagueiros Rodrigo e Zé Marcos, os volantes Renan Areias, Léo Costa e Arilson, e o meia Fellipe Mateus.

“Vamos trabalhar com um grupo de 25 a 27 atletas, sendo a base para disputa da Série B, mas precisamos encorpar esse elenco. Ainda vamos chamar dez meninos da base. O orçamento de R$ 10 milhões é para iniciarmos o ano do futebol profissional. Com o passar dos dias, teremos a contratação dos atletas que participarão de outros campeonatos estaduais. Estamos fazendo um esforço para que, no dia 03 de abril, quando inicia a Série B, nós tenhamos uma equipe mais robusta e com orçamento maior”, garantiu Freitas.

O montante apresentado pelo dirigente ainda terá o incremento dos associados ao clube. A última atualização, no dia 04 de janeiro, marcava pouco mais de oito mil sócios para 2022. Com uma média calculada exclusivamente por Anselmo de R$ 70, o Tigre poderá ter acrescido aos cofres mais de R$ 6,7 milhões durante o ano, tendo como base o número atual de associações.

Confiança em 2022

Os três presidentes falaram com confiança sobre as expectativas dos clubes para este ano. Próspera, Criciúma e Caravaggio terão um ano longo e cheio de decisões. Samuel, Israel e Anselmo estão empolgados, apresentando novidades para que 2022 seja uma temporada sem defeitos. Mas e você, torcedor? Acha que o Time da Raça, o Tigre e o Azulão da Montanha farão bom ano?

Copyright © 2021.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito