Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Podcasts

Ser vegano é ser evoluído? (02/03/2018) / 18037

Eles não comem e nem bebem nada de origem animal e defendem que o veganismo é um avanço na realidade humana. O Programa do Avesso, da Rádio Som Maior, recebeu a acadêmica de Medicina Isabella Zarur e o jornalista Eduardo Nunes, veganos de carteirinha. Os produtos de origem animal podem ser substituídos por similares, como hambúrgueres de lentilha ou sushi sem peixe.

"O primeiro momento que a gente coloca o propósito na cabeça, que é a parte dos animais, começamos a pensar diferente", analisou Isabella. Antes ela era conhecida em sua família como onça, de tanto comer carne.

Eles acreditam que a pirâmide alimentícia está passando por mudanças estruturais. Embora sejam veganos, nem sempre é possível fugir dos produtos de origem animal, por exemplo, as pastas de dente especiais costumam ser mais caras e nem sempre estão à venda nos supermercados.

Para Isabella, a maioria das pessoas encontram dificuldades em parar de consumir queijo. Segundo ela, o leite de vaca foi feito para o bezerro e possui proteínas que prejudicam os seres humanos. “Já tem contas mostrando como seria o mundo em 2050 ou 2060, se o mundo parece de comer carne e as perspectivas são lindas”, afirmou.

A pratica do veganismo tem crescido nos últimos anos, o que de acordo com Nunes, pode ser uma onda. "Eu sou vegano há quase quatro anos, e não comia carne há mais quatro. Então eu não sou modinha", disse. Ele contou que os chocolates com mais de 50% de cacau são considerados veganos.