Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Três frentes para tentar reduzir a conta de luz em Urussanga

Tarifa cobrada na cidade é a mais elevada do estado e fica em quarto lugar no país
Erik Behenck
Por Erik Behenck Urussanga - SC, 19/08/2019 - 08:28Atualizado em 19/08/2019 - 10:50
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

Urussanga lidera um ranking que nenhuma cidade gostaria. A tarifa de energia elétrica na cidade é a mais cara de Santa Catarina e a quarta mais alta do Brasil. Na sexta-feira, 16, foi realizada uma audiência pública para discutir a questão. Conforme o deputado estadual João Amin (PP), existem três frentes de trabalho, para baixar a conta.

“É um absurdo o que vem acontecendo. Tivemos a presença de um representante da ANEEL, do Ministério Público e da empresa que faz o serviço”, comentou. Outra tentativa será a criação de uma lei, que permita incentivos para a empresa privada que disponibiliza energia elétrica na cidade. O serviço é prestado pela Empresa de Força e Luz (EFLUL).

“A empresa que explora o serviço não tem subsídios como outras empresas tem, isso é uma injustiça muito grande. Numa distância de poucos quilômetros os cidadãos tem uma tarifa bem mais alta”, frisou Amin. “Não pode uma empresa não ter os mesmos benefícios do que outras”, completou o deputado.

Segundo ele, ninguém representou a Celesc na reunião, empresa responsável por boa parte da energia em Santa Catarina. “A ata será levada a bancada federal e ao Ministério Público. Esse assunto é uma injustiça muito grande, já que em outros municípios, como Cocal do Sul, a tarifa é muito menor”, comparou o político.

Confira a entrevista na íntegra: