Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Taxa da água pode continuar igual, mesmo com troca da fornecedora

Superintendente da Casan, Gilberto Benedet, pensa que o custo não deveria ser o mesmo no estado todo
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 10/05/2019 - 10:26
(fotos: Erik Behenck)
(fotos: Erik Behenck)

Mesmo que Criciúma troque a empresa responsável pela água, o valor da taxa cobrada poderá ainda ser o mesmo. Quem garante é o superintendente regional da Casan Sul/Serra, Gilberto Benedet Junior. “É provável. A agência reguladora vai dizer: para Casan ou Samae a tarifa é a mesma”, comentou em entrevista ao Programa Adelor Lessa.

Os valores são definidos após estudos da agência reguladora contratada pelo município, em Criciúma desde abril o serviço é prestado pela Cisam-Sul. Antes a Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) era a responsável pelas atividades, até o contrato ser rompido por insatisfação da Prefeitura de Criciúma.

“Eu como criciumense e como funcionário de carreira da Casan, quero que o custo seja de acordo com a região. Essa realidade precisa ser vista pela Casan. Mas com a lei 11.445, que é o marco do saneamento básico, determina que as agências reguladoras são as responsáveis por fazer os custos”, afirmou Benedet.

O superintendente da Casan aproveitou para falar sobre as obras na Grande Próspera, da Estação de Tratamento de Esgoto na Vila Selinger. Segundo ele, os serviços demoraram para começar porque faltavam licenças ambientais, inclusive emitidas pelo Paço Municipal da cidade.

“A obra da Vila Selinger está em andamento. A gente tinha um recurso há cinco anos para investir na coleta de esgoto, inicialmente foi cedido a Casan um terreno que depois a gente identificou como um depósito de pirita, então a Casan deveria recuperar aquela área. Isso ficou na justiça por uns 3 anos”, concluiu.

Ouça a entrevista na íntegra: