Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Sete bandas e um destino

Do Avesso recebeu o guitarrista Robson de Oliveira Brigido, que toca desde os 13 anos
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 16/07/2018 - 15:19Atualizado em 16/07/2018 - 15:22
(foto: Mano Dal Ponte)
(foto: Mano Dal Ponte)

Ele é apaixonado pela música, especialmente o rock e toca atualmente em sete bandas. O Programa do Avesso, da Rádio Som maior, recebeu o guitarrista Robson de Oliveira Brigido, que se encantou pela prática aos oito anos. Sua família não tem músicos, o começo foi aos poucos, iniciando com guitarras aos 13 anos.  

“Meu pai era militar, tinha uns bailes de fim de ano e eles metiam uma banda para tocar, a banda que estava tocando meteu um Scorpions, naquele momento disse que queria tá ali em cima fazendo aquilo ali”, lembrou Robson. Contou também que seu primeiro violão foi comprado com dinheiro de uma boca de urna.

No momento Robson toca nas bandas Nekrós, Guerra de Botões, Na Veia da Velha, Oito, Down The System, Cadillac e Don Capone. Além disso, possui oito guitarras, sendo uma para cada banda. “Na verdade eu arrumo bandas para ter guitarras. Eu empresto as guitarras sem problema nenhum”, disse.

Cada uma das bandas tem seu estilo próprio de rock. Ele imagina que algum dia Nekrós e Don Capone possam render dinheiro. Já a Guerra de Botões tem quase 20 anos. A estratégia para manter tantas bandas é não fazer ensaios, apenas shows, no momento apenas Nekrós e Cadilac fazem ensaios.

Robson não é compositor e diz que não se importa de tocar outros ritmos, desde que seja interessante. “Eu não tenho problemas com ritmos, eu tenho problema com música ruim. Eu gosto de Oswaldo Montenegro, que é uma coisa absolutamente voz e violão. Eu gosto de algumas músicas que nada tem a ver com o rock”, completou.

Confira o Programa do Avesso completo: