Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Senado: Queda de intenções de votos e Amin e Colombo na frente

Pesquisa IPC quis saber em quem os criciumenses vão votar para senador; ainda há muitos indecisos
Por Francieli Oliveira Criciúma, SC, 19/09/2018 - 06:15

Na corrida eleitoral pelas vagas de Santa Catarina no Senado, há dois ex-governadores, Esperidião Amin (PP) e Raimundo Colombo (PSD), e são eles que lideram as intenções de votos dos criciumenses assim como mostra os dados do Instituto de Pesquisa Catarinense (IPC), a pedido da Rádio Som Maior e Jornal A Tribuna. Porém, todos os postulantes, com exceção de Ideli Salvatti (PT), apresentaram queda em comparação com dados de agosto.

Amin segue na preferência dos criciumenses, mas passou dos 32,80% de agosto para 23,68% agora. Raimundo Colombo tinha 22,56% e agora tem 19,52%. Paulo Bauer (PSDB) segue ocupando a terceira posição, com 11,52% das intenções de votos, mas na pesquisa anterior aparecia com 14,08%. Ideli manteve os 10,08% e a quarta posição nas duas pesquisas.

Na pesquisa mais recente, o quinto lugar é de Lucas Esmeraldino (PSL), com 4,96%. Ele é seguido por Jorginho Mello (PR), com 3,20%, Lédio Rosa (PT), com 3,04%, Roberto Salum (PMN), com 1,92%, Professor Pedro (PSOL), com 1,28%, Professor Antônio (PSOL), com 0,96%. Andreá Luciano Carvalho (PCO), Diego Mezzorgiorno (Rede) e Mirian Prochnow (Rede) têm 0,64% cada e Ricardo Lautert (PSTU) aparece com 0,32%.

O que chama atenção na pesquisa para o Senado é que a grande maioria, 75,56%, não sabe em quem vai votar. Ainda há 10,40% que disseram anular ou votar em branco para o voto um e 28,64% para o voto dois. Lembrando que, como são dois votos para o Senado, neste ano, a porcentagem ultrapassa os 100%.

Haddad e Décio com maior rejeição entre os criciumenses

Os entrevistados pelo IPC também responderam em qual candidato não votam de jeito nenhum. Quando a disputa é para a Presidência da República, é Fernando Haddad, do PT, que apresentou o maior índice, com 22,72%. Em seguida aparece o nome de Jair Bolsonaro (PSL), com 19,20%. Neste caso, em comparação com a intenção de votos, há uma inversão, já que Bolsonaro aparece em primeiro e Haddad em segundo quando a pergunta é 'em quem você votaria'.

Na rejeição, a terceira colocada é Marina Silva (Rede), com 10,56%. Em seguida vem Ciro Gomes (PDT), com 5,28%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 3,20%, Henrique Meirelles (MDB), com 1,76%, Álvaro Dias (Podemos), com 1,28%, Cabo Daciolo (Patriota) e Eymael (DC), com 0,64%, Guilherme Boulos (PSOL), João Amoêdo (Novo) e Vera (PSTU) com 0,48% cada e, por último, João Goulart Filho (PPL), com 0,32%.

Só que 24% dos entrevistados não souberam responder, 5,28% rejeitam a todos e 3,68% não rejeitam nenhum.

Em relação à pesquisa anterior, publicada em agosto, não há como comparar a rejeição de Haddad, já que seu nome não constava como candidato. O mais rejeitado foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, então candidato do PT, com 38,24%. A rejeição a Jair Bolsonaro aumentou de 14,88% para 19,20%, assim como de Marina Silva, que passou dos 5,76% para os 10,56%.

Quem apresentou redução na rejeição foi Geraldo Alckmin, que passou de 5,44% para 3,20%.

Para o Governo do Estado, o candidato que aparece em primeiro lugar nas intenções de votos, Décio Lima, do PT, tem a maior rejeição, com 15,52% dos entrevistados. O segundo lugar é de Mauro Mariani (MDB), com 5,76%, seguido de Gelson Merisio (PSD), com 3,84%, Rogério Portanova (Rede) e Leonel Camasão (PSOL), com 2,56% cada, Comandante Moisés (PSL), com 2,08%, Ângelo Castro (PCO), com 1,92%, Jessé Pereira (Patriota), com 1,60% e Ingrid Assis (PSTU), com 1,12%.

Porém 48,32% não souberam responder e 6,56% não rejeitam nenhum. Outros 8,16% rejeitam a todos. No comparativo com agosto, subiu a rejeição de Décio Lima, dos 10,72% para os 15,52%, assim como de Gelson Merisio, que era de 2,08% e passou para 3,84%. Do Comandante Moisés, passou de 1,28% para os 2,08%. Já Mauro Mariani apresentou uma leve queda de 6,24% para os 5,76%.

Para entrevistados, Merísio irá vencer a eleição

Os entrevistados pelo IPC também responderam a seguinte pergunta: “independentemente do seu voto, quem você acha que vai ganhar as eleições para governador de Santa Catarina este ano?”. Neste caso, é Gelson Merisio (PSD) que aparece em primeiro lugar, com 14,08%. Décio Lima (PT) vem em segundo, com 10,72% e, em terceiro, está Mauro Mariani (MDB), com 8,64%. Comandante Moisés (PSL) tem 3,36%.

Os demais candidatos registraram menos do que 1%. Ângelo Castro (PCO) e Ingrid Assis (PSTU) vêm com 0,32% cada e Jessé Pereira (Patriota) e Rogério Portanova (Rede) foram os citados por 0,16%, já Leonel Camasão (PSOL) não foi citado.

Aqui também há um grande número de indecisos e a menos de três semanas da eleição, marcada para 7 de outubro, 62,24% dos entrevistados dizem não saber quem se encaminha para a vitória. Nesta mesma pesquisa, divulgada ontem, quando a pergunta é sobre em quem o eleitor vota, Décio Lima aparece em primeiro, seguido de Merisio e Mariani.

Voto definido

Dos entrevistados pelo IPC, a grande maioria diz que seu voto já está definido e que não muda mais até 7 de outubro. Para presidente, 71,85% dizem que não mudam mais. Já quando o voto é para o Governo do Estado, 66,67% dizem já terem certeza do voto.

Dados da pesquisa IPC

A pesquisa foi realizada pelo Instituto de Pesquisa Catarinense LTDA (IPC) a pedido da Rádio Som Maior FM Ltda. Os dados foram coletados em 14, 15 e 16 de setembro de 2018, sendo que a margem de erro máxima é de 3,9% e o nível de confiança de 95%. Foram 625 entrevistas. A pesquisa foi registrada sob o número BR-09955/2018 e SC-08129/2018 em 11 de setembro de 2018. Os dados referentes ao registro estão disponíveis no site: http://www.tse.jus.br/eleitor-e-eleicoes/eleicoes/pesquisa-eleitorais.