Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Sem o 10 de origem, Tigre pode atuar no 4-4-2 no Catarinense

Hemerson Maria optou por dois atacantes, com Mateus Anderson e Gabriel Silva completando linha de quatro no meio-campo
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma, SC, 18/02/2021 - 16:20
Mateus Anderson sentiu a posterior no começo do segundo tempo contra o Grêmio (Foto: Celso da Luz / Criciúma)
Mateus Anderson sentiu a posterior no começo do segundo tempo contra o Grêmio (Foto: Celso da Luz / Criciúma)

Sem o camisa 10 de origem, tão comentado e especulado pela torcida, o Tigre deu amostras da formatação do setor ofensivo para o Campeonato Catarinense. O técnico Hemerson Maria optou por um 4-4-2 - a exemplo do esquema usado em sua passagem pelo Brasil de Pelotas - no jogo-treino contra o Grêmio, vitória por 4 x 0 do Criciúma, e os volantes Eduardo e Moacir foram responsáveis pela manutenção da posse no meio. 

Nas pontas, o técnico usou Mateus Anderson pelo lado direito e Gabriel Silva pelo esquerdo, ambos com o pé invertido. Mateus em alguns momentos aparecendo entre as linhas do adversário para receber a bola por dentro, em revezamento com Marcus Índio - que iniciou o jogo-treino contra o Grêmio formando a dupla de ataque com Uilliam Barros, provável camisa 9, mas também com bastante movimentação.

No segundo tempo, com as mudanças, outros jogadores ocuparam o setor: Rullian, volante de origem, revelado pelo clube, entrou do meio pra frente, mas recuando mais do que Marcus Índio para a armação dos contra-ataques, com a marcação do Tigre mais baixa. João Carlos entrou pela ponta-direita e deu mais profundidade ao time. Hemerson Maria, ao fim da atividade, falou sobre a movimentação dos homens de frente. 

"Queremos mobilidade dos quatro da frente. O Índio pode ser o ponta-direita, trabalhar por dentro, o Mateus também e pode ir para a esquerda. Não só na parte ofensiva, (os homens de frente) têm que participar também do momento defensivo. Nossa marcação foi eficente e não tomamos gol porque eles ajudaram muito. Não se pode dividir setores, tem que ter equipe organizada em todos os momentos do jogo", respondeu Hemerson Maria.

Segundo o técnico, o departamento de futebol segue na busca do camisa 10 de origem no mercado; em entrevista ao Portal 4oito há duas semanas, Hemerson Maria falou sobre a dificuldade de encontrar esse jogador no futebol brasileiro - geralmente atletas mais experientes e valorizados. 

"Eu gosto de atleta que participe da parte defensiva da equipe, que tenha mobilidade e agregue o valor de cadenciar, seria o ideal. Não encontramos o atleta ainda, o departamento de futebol está buscando. Mas os que iniciaram e os que entraram depois fizeram um jogo-treino bastante interessante", pontuou.

Hemerson Maria elogiou a postura defensiva do Tigre, que sofreu poucas ameaças do Grêmio durante os 90 minutos de jogo-treino. 

"Não divido defesa e ataque. A organização defensiva foi boa, sofremos um pouco com a posse de bola do Grêmio, uma equipe técnica e jovem. Tivemos que baixar um pouco as linhas de marcação, mas tivemos comportamento agressivo nas bolas cruzadas e na transição ofensiva também, nosso contra ataque foi efetivo", apontou o técnico. 

O Tigre enfrenta o Hercílio Luz na próxima quarta-feira, às 21h no Heriberto Hülse, na estreia do Campeonato Catarinense. Hemerson Maria não confirma a repetição da escalação no jogo-treino: Léo, lateral-direito, não participou das atividades para avaliação física. No segundo tempo, Mateus Anderson, um dos destaques do jogo-treino, sentiu a posterior e está sendo avaliado pelo Departamento Médico.