Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Hemerson Maria não descarta mudanças para a estreia no Catarinense

Após goleada sobre a equipe de transição do Grêmio, técnico mantém os pés no chão para jogo contra o Hercílio Luz
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma, SC, 18/02/2021 - 15:09Atualizado em 18/02/2021 - 15:09
Uilliam Barros deve ser o camisa 9 do Tigre no estadual (Foto: Celso da Luz / Criciúma EC)
Uilliam Barros deve ser o camisa 9 do Tigre no estadual (Foto: Celso da Luz / Criciúma EC)

Passada a goleada aplicada na equipe de transição do Grêmio, a quinta-feira foi de folga no Centro de Treinamento Antenor Angeloni. A partir de sexta-feira, o foco passa a ser total na estreia do Catarinense, contra o Hercílio Luz no Heriberto Hülse, na quarta-feira que vem, às 21h. O técnico Hemerson Maria deve manter o esqueleto que venceu o Grêmio por 4 x 0, mas não garante a repetição da escalação.

Isso porque alguns jogadores não puderam participar das atividades. É o caso do lateral-direito Léo, que veio do Cuiabá e tem mais rodagem do que Emanuel, o escalado no jogo-treino contra o Grêmio. Tanto o lateral quanto os atacantes Pedrinho e Eduardo Melo, e o volante Vinícius Tsumita, passaram por avaliações físicas na tarde de quarta.

"Falta uma semana para a estreia, mas temos jogadores que não treinaram conosco. Vou ter até o dia para trabalhar bem a equipe e escolher quem vai iniciar", projetou o técnico Hemerson Maria após o jogo-treino contra o Grêmio.

Durante a atividade, Maria deu chances a jogadores das categorias de base, como é o caso de Deivid, autor do quarto gol, Igor e o volante Léo, que após as atividades teve o anúncio da assinatura do primeiro contrato como profissional. O técnico gostou da movimentação dos jovens no segundo tempo, quando o time atuou com a marcação mais baixa e conseguiu encaixar passes longos para criar as oportunidades de gol. 

"Penso que a performance foi boa, até mesmo quando os meninos do sub-20 entraram. Jogamos 30 minutos com equipe bastante jovem, somente Adenilson, Léo Campos, Alisson e Philipe Maia de mais velhos, o restante de jogadores da base. Isso mostra uma das nossas intenções, de ajudar na formação dos atletas, muito importante para o crescimento do clube", apontou.

O técnico, no entanto, não se deslumbra com o resultado e o desempenho no jogo-treino, e prega pés no chão para a estreia contra o Hercílio Luz. "Acredito que hoje (quarta-feira) foi o passo inicial. O que vamos enfrentar no Catarinense é diferente. Colocar os pés no chão e trabalhar duro. O resultado dá demonstração e premia os atletas pelo que fizeram até agora, mas não nos credencia a nada. Temos que buscar os resultados em cada jogo", concluiu.