Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Secretário de Saúde anuncia fim de contrato com a SPDM (ÁUDIOS)

Empresa continua à frente do HRA até que seja lançado edital de emergência
Por Clara Floriano Araranguá - SC, 30/11/2017 - 12:53Atualizado em 30/11/2017 - 12:59
(foto: Décio Batista)
(foto: Décio Batista)

O secretário de Saúde do Estado, Vicente Caropreso, anunciou hoje, durante coletiva de imprensa, que a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) pretende não continuar com contrato de administração do Hospital Regional de Araranguá (HRA) e do Hospital de Florianópolis. Por isso, a Secretaria de Saúde está providenciando um edital de emergência para que não haja a interrupção no atendimento.

 “Estamos procurando a forma mais rápida de colocar esse edital, esse chamamento simplificado para que a gente resolva essa situação o quanto antes. A empresa que aí está mostrou suas razões. Nos interessa que a transição seja feita o mais rápido possível, de uma maneira segura e adequada para não comprometer o tratamento com as pessoas”, falou.

Enquanto isso, a SPDM continua à frente do Regional de Araranguá. Por isso, para que seja garantido o atendimento à população, a secretaria de saúde vai contar com monitorias feitas por um médico e uma enfermeira, com pelo menos 25 anos de atuação no HRA, e também com assessoria jurídica para acompanhar as ações e passar para a justiça.

“Faz parte do contrato, que a empresa que presta atendimento, tenha que disponibilizar médicos, técnicos, equipamentos e insumos necessários. Nós vamos estar cobrando e informando ao juiz em caso de faltas”, revelou.

O prefeito de Morro Grande e presidente da Amesc, Valdionir Rocha, revelou que ele e demais prefeitos da região, consideram que o que aconteceu com o HRA já era uma “tragédia anunciada”.

“Estivamos em Florianópolis colocando o que vinha acontecendo com o HRA para o secretários. Isso já vem acontecendo há muito anos, causando impactos negativos. A reunião foi positiva. Vamos ter que passar por esse momento amargo, mas isso é necessário para que o Hospital Regional viva uma nova era. Vamos continuar vigilantes para ver como que a SPDM vai cumprir a liminar da justiça daqui pra frente”, disse Rocha.

Para o presidente do Sindisaúde de Criciúma e região, João Batista Estevam, a situação é preocupante para população e trabalhadores. “Demorou para acontecer essa saída desta empresa. Ela sucateou o hospital. Os trabalhadores estão apreensivos com a situação, mas estão contentes que a empresa vai sair. Um dos pleitos do Sindicato com a Amesc é para que o novo edital, para a nova empresa, haja a participação da sociedade civil. Nada mais justo que a sociedade participe antecipadamente”, explicou.

Para o secretário de Saúde do Estado essa foi a melhor saída para o Hospital Regional de Araranguá. “Não nos arrependemos, esperamos a liminar do juiz que nos posicionou de uma maneira muito firme. Tem que haver por parte da prestadora de serviços o tratamento adequado para as pessoas. E é isso que a gente vai cobrar, mas não podemos ser desavisados. Vamos fazer essa transição rápida para que todos saiam ganhando”, revelou.