Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Secretaria de Saúde do Estado busca resolver problemas de hospitais da região

Secretário Helton de Souza estará na região nesta sexta-feira para tratar sobre problemas do São Donato, São José e Regional
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 14/02/2020 - 10:30Atualizado em 14/02/2020 - 10:32
Foto: divulgação
Foto: divulgação

O Secretário da Saúde de Santa Catarina, Helton de Souza Zeferino, estará nesta sexta-feira, 14, em alguns municípios do sul catarinense para tratar de alguns problemas referentes aos hospitais da região. O São José, de Criciúma, São Donato, de Içara e, sobretudo, o Hospital Regional, de Araranguá, serão pautados em discussão.

Uma das reclamações mais veementes parte do Conselho Consultivo do Hospital Regional, criado para servir como um acompanhamento externo dos recursos públicos e verbas da instituição, que afirma não ser ouvida pela Secretaria de Saúde estadual. Helton destaca que, infelizmente, há alguns problemas de ruídos entre a comunicação do Estado com o Conselho, mas que em momento algum a Secretaria deixou de ouvi-los. 

“Estamos aqui trazendo informações para o conselho sobre o que nós, enquanto Secretaria, estamos fazendo em relação a Araranguá, em relação ao que o Conselho nos traz. A Secretaria de Saúde nunca deixou de ouvir o Conselho, e traremos ações efetivas para estes problemas. No fim das contas, o que queremos é que o hospital esteja atendendo a população adequadamente e que o recurso público seja adequadamente aplicado”, disse.

Já em relação ao São Donato, uma das maiores reclamações é referente aos problemas da central de regulação que, mesmo com leitos vazios da UTI, exigem que pacientes se transfiram para outro local - algo já solucionado, segundo Helton. Existem também reclamações sobre a maternidade do hospital, a qual não teria suas eletivas cumpridas. 

“Vamos estar buscando justamente organizar este processo de cirurgias eletivas que, especialmente na média complexidade, está muito represada no estado, e apesar de todos os anos contarem com mutirões para isso, não temos conseguido fazer que esta demanda represada tenha encaminhamento”, concluiu.