Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

SC Clubes na expectativa de voltar o Catarinense no dia 8 de julho

Definição do novo calendário definirá de acerto entre clubes e prefeituras; no retorno, imprensa não poderá trabalhar no campo
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Florianópolis - SC, 03/06/2020 - 15:38Atualizado em 03/06/2020 - 15:39
Foto: Arquivo / Leonardo Hübbe / CA Tubarão
Foto: Arquivo / Leonardo Hübbe / CA Tubarão

Vai depender de reuniões entre clubes e prefeitos a data da volta do Campeonato Catarinense. Após a assertiva do governo do Estado para a volta dos eventos esportivos no dia 6 de julho, a Associação de Clubes de Santa Catarina (SC Clubes) realizou uma reunião para tratar da volta do catarinense. De acordo com o presidente da Associação, Francisco Battistotti, a expectativa continua pelo retorno dos jogos no dia 8 de julho, uma quarta-feira, apesar de ainda não ter a data definida.

"Acredito que a conversa será entre presidentes de clube e prefeito. Acho que há possibilidade de voltarmos no dia 8 de julho. Depende de cada prefeito. É jogo com portão fechado, não vejo problema em função de que todos os atletas estão testados. Vamos torcer para que isso aconteça", disse Battistotti à reportagem.

Battistotti, presidente do Avaí, falou sobre o retorno aos treinos. O Leão da Ilha treina em Palhoça e Biguaçu, porque a prefeitura de Florianópolis proibia os trabalhos na capital. Mesmo com a liberação na Ilha, o Avaí continua treinando nas cidades vizinhas por dois motivos, de acordo com matéria do Globoesporte: está plantando a grama de inverno na Ressacada e no centro de treinamento e a distância permitida entre os jogadores.

Em Biguaçu e Palhoça, a distância mínima no trabalho com bola é de 1,5 metros entre cada atleta. Em Florianópolis,  a distância mínima é de 20 metros. Battistotti falou ao 4oito sobre o pedido para o retorno dos treinos com contato físico no Estado. 

"Solicitamos ao governador ontem mesmo que ele também analisasse a possibilidade de voltar ao treino com bola e contato físico na semana que vem. A partir do dia 8 de junho ele libera ônibus para todo o Estado. Ele ficou de analisar e nos dar uma resposta na semana que vem", disse Battistotti. 

O volante Ralf foi o quinto jogador do Avaí a testar positivo para o contato com o coronavírus. No entanto, o jogador já está com os anticorpos, portanto sem o vírus no organismo. Battistotti lembrou do lateral direito Arnaldo, que testou positivo, fez quarentena de 14 dias e retornou às atividades quando novo exame detectou a cura. 

"O Avaí faz teste constantemente. Toda a pessoa que entra no Avaí, antes de entrar e referendar toda a documentação, passa por um teste mais profundo que nos dá mais garantia de resultado. O Ralf teve a mesma situação do Betão, pegou o vírus mas não teve sintomas. Para ver como os atletas dificilmente são infectados pela própria preparação física. Temos que nos preocupar que ele pegando o vírus e colocar em quarentena durante o período de incubação, mas após passar eles voltam  à atividade", reforçou.

Concórdia e Chapecó estão entre as cidades com a situação mais crítica da pandemia. Chapecó é a cidade com mais casos: 939 casos. No município foram registradas quatro mortes. Em seguida está Concórdia, com 935 casos e nove mortes. Battistotti não vê empecilho para a retomada dos jogos nas cidades, pois seria com portões fechados. 

"A pandemia maior está em Concórdia, aí tem que ser feito um trabalho lá porque é portão fechado, os atletas estão todos com os exames da Covid-19 feitos e dando negativo. É complicado, mas é portão fechado. As 60 pessoas dentro de campo estarão testadas e com resultado negativo", argumenta o presidente da SC Clubes.

Em Criciúma, o Tigre continua com os trabalhos à distância coordenados pelo preparador físico William Hauptman. O clube, representado pelo presidente Jaime Dal Farra na reunião com a SC Clubes, espera o reagendamento do calendário para voltar aos trabalhos presenciais. O retorno aos treinos será 21 dias antes da volta dos jogos

Battistotti falou também sobre o trabalho da imprensa quando houver o retorno dos jogos. O trabalho de campo será proibido, sendo liberado apenas o serviço de cabines, com a devida higienização. "O Avaí imagina fazer o teste rápido na imprensa, que teria que chegar com três dias antes de trabalhar para ter o resultado e ter autorização. Para a imprensa de fora, que não tem condições, tem que entrar medindo a temperatura e deixando álcool gel. Teria liberação para a cabine de transmissão. Ao campo, o assessor de imprensa do Avaí recebem as perguntas dos setoristas e a imprensa tem a resposta na hora", explicou.

Se o retorno dos jogos for marcado para o dia 8 de julho, a expectativa é terminar o campeonato até o dia 26, com jogos nas quartas e nos domingos. Restam seis datas para o término do campeonato: jogos de ida e volta das quartas de final, semi e final. O Brasileirão, segundo Battistotti, pode começar em agosto. "Nós da comissão nacional de clubes estamos reivindicando que comece a Série A e B", concluiu o dirigente. 

Tags: coronavírus