Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Revertido: Celesc macrorregional sul será em Criciúma

Presidência reconsiderou decisão e abortou o plano de instalar núcleo em Tubarão
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 19/02/2019 - 11:45Atualizado em 19/02/2019 - 12:06
Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação

A pressão funcionou. Em audiência com deputados estaduais, o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, reconsiderou a decisão anunciada ontem e o núcleo macrorregional Sul da estatal de energia elétrica não será mais em Tubarão, mas sim em Criciúma.

"Faltava um diálogo entre as partes. O presidente entendeu as nossas razões e reconsiderou", confirmou o deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT).

Mais cedo, após a conversa da comitiva criciumense com o comando da Celesc, o prefeito Clésio Salvaro, na iminência de não resolver a questão, chegou a sugerir que "acamparia em Florianópolis para garantir a macrorregional".

A entrada em vigor do novo formato de gestão depende apenas de ajustes de infraestrutura. "Quando estiver formalizado o aluguel da nova sede, o novo modelo vigorará oficialmente, com Criciúma sendo o núcleo e Tubarão ficando como unidade. "O presidente compreendeu a dimensão da cidade e o retorno que ela dá para a Celesc", observou.

Participaram da reunião, ainda, os deputados Ada de Luca (MDB), Luiz Fernando Vampiro (MDB), Jessé Lopes (PSL) e José Milton Scheffer (PP), além da diretora de Gestão Corporativa da Celesc, Claudine Anchite.

Confira o documento:

"A estimativa é que em 60 dias esteja tudo ajustado, já na nova sede", comentou Minotto. O deputado confirmou que há a intenção de buscar uma sede própria. "Sim, no futuro essa é uma possibilidade", completou.

 

Entrevista realizada pelo jornalista Denis Luciano com o deputado estadual Rodrigo Minotto.