Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Prefeitura coloca site alternativo no ar

Medida minimiza problemas que contribuintes e cidadãos vinham enfrentando nos últimos dias
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 03/07/2019 - 20:41Atualizado em 03/07/2019 - 20:44
Reprodução
Reprodução

A prefeitura de Criciúma colocou no ar, no início da noite desta quarta-feira, 3, um site alternativo no ar. Pelo mesmo endereço original, o www.criciuma.sc.gov.br, o município está oferecendo os serviços básicos para os cidadãos e contribuintes. Ao longo do dia houve o registro de reclamações por conta da indisponibilidade do site, prejudicado em suas operações desde o mais recente ataque por hackers, registrado na noite do último sábado, 29.

O site esteve fora do ar até a noite de segunda-feira, 1º, quando voltou por algumas horas, saindo do ar novamente na terça. 

Confira também - Os transtornos com o site da prefeitura fora do ar

A equipe da Diretoria de Tecnologia da Informação (TI) do município esclareceu em nota, na tarde desta quarta, que o site foi mantido fora do ar "por questões de segurança e a fim de evitar novos transtornos, visto que a página eletrônica foi danificada por uma intervenção ilegal de terceiros no sábado e na última terça-feira". Ou seja, na nota é apontado que houve, de fato, dois ataques à página oficial do município.

Ainda pela nota, a Diretoria de TI assegurou que "os dados de usuários que utilizam os serviços disponibilizados pela Administração Municipal não foram acessados e a integridade de todos os dados foi preservada".

O retorno provisório do site que está no ar atende ao clamor de internautas que estavam precisando de serviços que vinham indisponíveis. O município anuncia, ainda, que está registrando um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil "com o propósito de investigar e penalizar os responsáveis pela invasão ao site oficial do Governo de Criciúma". No site provisório, há observações sobre a manutenção do mesmo, que está em andamento.

Este não foi o primeiro ataque de hackers ao site da prefeitura, mas se tornou o de maior extensão. Em fevereiro houve outra intervenção dos invasores, que causou menos danos.