Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Outubro Rosa: Projeto da SBM irá atender 2 mil mulheres em SC

Atendimento envolve desde exames de rastreamento do câncer de mama até possíveis biópsias
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 14/10/2020 - 09:18Atualizado em 14/10/2020 - 09:21
Foto: Paulo Monteiro / 4oito
Foto: Paulo Monteiro / 4oito

A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) está realizando um projeto único, e modelo, em Santa Catarina durante o mês de combate ao câncer de mama. Desenvolvido em nove cidades catarinenses, a campanha surge com o objetivo de atender mulheres usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) para realização de exames que vão desde a mamografia até possíveis biópsias, em casos de confirmação de câncer de mama.

“Durante a pandemia, em contato com as várias clínicas de radiologia, percebemos nos consultórios uma grande redução das mulheres que tem faixa etária para realizar o exame de rastreamento, a mamografia. Foi uma redução de 75% em todo o estado. Baseado nesses dados, como o Outubro Rosa estava se aproximando, em parceria com a Libbs farmacêutica, conseguimos apoio empresarial em nove cidades catarinenses”, declarou o diretor estadual da SBM, Erik Winnikow. 

A ideia do projeto é retomar a frequência dos exames de rastreamento na busca pelo câncer de mama, em sua fase mais precoce - um fator que aumenta em muito a chance de cura. Além disso, o projeto também busca dar todo o atendimento após o rastreamento, para que as mulheres não fiquem sem orientação.

“Queremos dar oportunidades às mulheres, para que possam fazer exames de qualidade e serem atendidas por especialistas e receber atenção de forma adequada. Infelizmente, às vezes, o SUS tem alguns gargalos que são naturais. Esse projeto vem de encontro a tentar demonstrar ao serviço público que, de forma organizada, podemos desenvolver projetos que atendam bem a sociedade e dando uma resolução rápida ao câncer de mama”, disse.

Lançado no dia primeiro de outubro, o projeto se estende até março do ano que vem, e irá atender 2 mil mulheres em todo o estado catarinense. Em Criciúma, 150 pessoas serão contempladas. “É um projeto piloto no Brasil, nunca antes realizado pela SBM e, se tudo der certo, será expandido em outros estados”, reforçou.