Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Os vilões da alta no preço do arroz

Vários fatores contribuíram para a inflação do produto que deve continuar valorizado
Gregório Silveira
Por Gregório Silveira Criciúma, SC, 18/09/2020 - 14:55Atualizado em 18/09/2020 - 15:13
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um dos assuntos que mais vem repercutindo nas redes sociais é o preço do arroz. Um dos alimentos mais presentes na mesa dos brasileiros teve uma disparada. Pela cotação atual da Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz), hoje o valor médio do pacote de cinco quilos está aproximadamente R$ 35, ou seja R$ 7 o quilo. Aqui na região sul do estado o quilo atualmente gira entorno de R$ 4. 

Uma série de fatores contribuíram para a alta do preço. "O Brasil ficou um pouco desabastecido devido as exportações. Mercados tradicionalmente importadores fecharam as fronteiras para alguns países, mas o Brasil continuou exportando. Em contrapartida Vietnã e Índia, por causa da pandemia, seguraram o produto para o consumo interno. Aqui no Brasil, como em outros lugares, a população começou a cozinhar mais em casa. Sendo assim foi a lei da oferta e da procura. Com uma demanda maior o produto foi vendido mais rápido e ganhando valor", afirma Walmir Rampinelli, empresário do setor.

Segundo Rampinelli outra questão que contribuiu para a alta nos preços está diretamente ligada aos produtores. "Os produtores que não precisavam  vender acabaram segurando. Produtor sabe o que fazer com arroz e muitas vezes o dinheiro não é o principal. Em muitas transações não há dinheiro envolvido, é troca de arroz por terra e maquinário por exemplo." 

Ainda de acordo com o empresário o que houve na verdade foi uma recuperação do preço já que estava defasado. "O arroz vinha sofrendo há muitos anos. 5kg era vendido por R$ 8 a R$ 10. Estava muito defasado com relação a soja e o milho por exemplo. Ele apenas recuperou e agora deve estabilizar."

Devido as interferências no cenário a expectativa é de que o consumidor continue pagando um valor mais caro no quilo do arroz, pelo menos até a próxima safra. No entanto, mesmo com as alterações de preço Rampinelli acredita não ser tão pesado para o bolso do consumidor.

"Um saco de 5 quilos de arroz dura bastante tempo e pode alimentar várias pessoas de uma família. Se comparado a outros produtos o valor não é tão alto assim", encerrou o empresário.