Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Os primeiros dias de Alan pós Big Brother

De volta a Criciúma, vice-campeão do reality visitou o Programa Do Avesso
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 18/04/2019 - 17:25Atualizado em 18/04/2019 - 17:36
Foto: Leonardo Gava / 4oito
Foto: Leonardo Gava / 4oito

Ele não imaginava o tamanho da repercussão em Criciúma. "Eu tava com medo da reação aqui fora". Mas é fato: Alan Possamai tornou-se a nova celebridade na cidade. Desde a confirmação da ida para o Big Brother Brasil (BBB) até o vencer de etapas, chegando à decisão, a popularidade só cresceu. Por conta disso, mudanças na vida, e não foram poucas.

“Eu pensava que ia dar uma mudada, mas não pensei em tanto, telão no Parque das Nações e tudo”, comentou Alan, que participou do Programa Do Avesso nesta quinta-feira na Rádio Som Maior. “Uma olhadinha de canto todo mundo dá, ainda mais quanto tem criciumense”, comentou, confirmando suas suspeitas sobre a audiência do reality show.

Há quase uma semana, na sexta-feira da semana passada, ele decidiu o jogo, e perdeu a final para Paula. E vem confirmando, entrevista após entrevista, o perfil que o fez conhecido e vencedor na casa mais vigiada do Brasil. “Eu gostava de ser positivo, não gosto de ficar reclamando. Eu fui eu”, resumiu.

Ele lembrou de como foi parar na casa. "Me inscrevi no programa, depois de um tempo e umas etapas, quando vi, eu estava lá". "Tu tem que ser tu, uma hora a carapuça cai, não tem jeito” comentou, quando questionado sobre a pressão cotidiana do programa nos dias e semanas de confinamento. Mas Alan reconhece que se acostumou rápido. “A gente acaba se acostumando. Tem câmera por tudo, a gente se sente um pouco retraído no começo", disse, revelando uma "gíria" que os brothers usavam para dizer que queriam ir ao banheiro. "A gente dizia vou na ratoeira”.

A pedido do 4oito, o chargista Marcos Sônego preparou para uma homenagem para o criciumense vice-campeão do BBB 19

Mesmo com o alto astral na casa, Alan relatou que levou uns dias para entender o que realmente estava acontecendo. “Eu demorei uma semana para cair a ficha. Não cai. O Tiago aparecendo ali, mas demora, caiu a ficha na primeira prova do líder”. Os momentos recordados com tensão são os dos paredões. “É ruim. Eu tava sofrendo com a saída da Hanna, a gente sente muita falta, são poucas pessoas e a gente tá convivendo. Foi um baque na hora que ela saiu”, frisou. Ele se viu seriamente ameaçado no primeiro paredão que encarou. "Foi contra o Diego e a Bela, eram do mesmo grupo, pensem que iam se juntar as torcidas contra mim". Não aconteceu.

O perfil pacífico foi abalado apenas uma vez em todo o jogo. “Briga, discussão tive um pouco com a Carol". A certa altura, embora a afinidade com Hanna, houve quem apostasse em uma aproximação dele com Carol. "Ficar com ela? “Ia ser pior pra mim”, respondeu.

Para quem pensa que Big Brother é mordomia? Que nada. “A gente lava louça, roupa, eles não fazem nada, a não ser quando tempo festa. Não é mordomia. Rola uma pressão psicológica, a gente está convivendo, clima chato, pesado, rola alguma discussão”. 

Além da explosão na vida pessoal e das muitas oportunidades que devem ser abertas, Alan deixou a casa do BBB  com prêmios. "Ganhei um carro, um Cronos, e uma cozinha da Consul", enfatizou.

Mais da conversa de Alan com os apresentadores Mano Dal Ponte e Pity Búrigo você acompanha no podcast abaixo: