Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Os clubes vão decidir o futuro do Campeonato Catarinense

Presidente da FCF cogita a possibilidade de utilizar datas Fifa para terminar o Estadual. Tudo por causa do coronavírus
Denis Luciano
Por Denis Luciano Joinville, SC, 15/03/2020 - 18:53Atualizado em 15/03/2020 - 19:00
Foto: Marco Búrigo / Timaço / Rádio Som Maior
Foto: Marco Búrigo / Timaço / Rádio Som Maior

Está absolutamente indefinido o futuro do Campeonato Catarinense, por conta da pandemia de coronavírus. Foi o que deixou claro o presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Rubens Angelotti, em entrevista à Rádio Som Maior na tarde deste domingo, 15, na Arena Joinville, antes de Joinville 0 x 1 Criciúma. "Caso os órgãos competentes proíbam, vamos acatar. Mas temos muitos mais casos de dengue, e gente morrendo de fome, que de coronavírus. Mas, claro, temos que nos prevenir", comentou. "Está havendo um pouco de alarde, tem muita mídia, apavora muita gente. Mas a saúde em primeiro lugar. Por isso, vamos acatar determinações das autoridades em saúde", emendou.

Ao longo da partida, no meio da tarde, a CBF anunciou que está suspendendo todos os seus campeonatos, mas que as disputas estaduais ficam a cargo das federações. "É muito dificil para a federação e os clubes tocarem o campeonato sem público. Agora, nas quartas de final, era hora do público no estádio. Estamos estudando as datas Fifa, se ocorrer uma paralisação até o fim de maio, vamos aguardar. Se der certo, se os clubes concordarem", observou. "Temos problemas do Juventus e Concórdia, que não tem calendário adiante, como os outros clubes. Provavelmente os contratos dos jogadores deles são até o fim de abril, daí fica difícil", lembrou.

Angelotti chega a cogitar o fim do campeonato como está agora. "Caso se chegue num acordo, dê tudo certo para não jogar, seguimos estudando as datas Fifa para reposição, para terminar o campeonato. Caso não se possa terminar, se mantém a classificação de hoje, primeiro é primeiro, último é último, e se encerra o campeonato. Isso tudo vai acontecer no decorrer da semana, vamos ver o que vai acontecer", sublinhou. 

Uma real possibilidade é seguir a disputa sem público nos estádios. "Se os clubes concordarem em terminar o campeonato sem público, nós vamos acatar. A Federação não vai determinar a paralisação. Vamos nos reunir, escutar os dez presidentes, se quiserem tocar sem público, vamos tocar, ou se quiserem esperar as datas Fifa, esperamos", afirmou. "Não é que vamos parar o campeonato por não ter público. Se os presidentes disserem que podemos jogar nas datas Fifa, jogamos. Mas ninguém sabe até onde vai o coronavírus", referiu. "Daqui a pouco vem alguma regulamentação que não pode ter público em estádio, vamos ter que acatar", completou.

As entidades de classe de atletas já estão se manifestando. "O Sindicato dos Atletas está pedindo a suspensão de todos os campeonatos, talvez por prevenção de seus atletas. Hoje no jogo do Grêmio entraram de máscara. Já não se cumprimenta, joga de máscara, mas tem os outros contatos ainda. Tem o calor, estamos um pouco protegidos, mas o nosso inverno está batendo na porta", destacou. "Provavelmente vai ser para parar tudo. Parar e vamos aguardar para ver o que vai acontecer", completou.

Enquanto isso, o mata-mata das quartas do Catarinense está definido:

Avaí x Chapecoense

Brusque x Joinville

Figueirense x Juventus

Marcílio Dias x Criciúma