Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O Dia D para o futebol catarinense

Presidente da Federação de Futebol, Rubinho Angelotti, destaca a importância de ter dois times na Série A
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 24/11/2018 - 15:30
(foto: Marco Búrigo/Arquivo 4oito)
(foto: Marco Búrigo/Arquivo 4oito)

O sábado (24) será decisivo não apenas para o Criciúma, como também para o Figueirense, que tem chances de cair e para o Avaí, que luta pelo acesso. Todos os jogos acontecem às 17h. Em entrevista ao Som Maior Esportes, o presidente da Federação Catarinense de Futebol, Rubinho Angelotti, analisou a rodada, afirmando que o acesso do Leão da Ilha é fundamental para o futebol do estado, além da Chapecoense permanecer na elite.

“É um dia crucial para o futebol catarinense, onde a gente torce muito para que no próximo ano tenhamos dois representantes na Série A. Vou assistir ao jogo do Avaí e torcer muito para que derrote a Ponte Preta ou empate pelo menos e garanta o acesso”, afirmou Rubinho. No momento o time da capital é o 3º e a Macaca vem em 4º, se empatarem e o CSA não derrotar o Juventude, sobem juntos.

Santa Catarina ocupa a quinta colocação no ranking de estados, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Caso as equipes não tenham êxito ao fim da temporada, uma posição poderá ser perdida. Lembrando que em 2018 o Joinville caiu para a Série D e até o momento nenhum time do estado subiu de divisão.

“Nós continuaremos ainda em 5º no ranking nacional, caso o Avaí não galgar e a Chapecoense não permanecer, provavelmente nós vamos cair uma posição no ranking, a Federação Catarinense nos passará, então temos essa luta, que nos presenteia com uma vaga a mais na Copa do Brasil, isso não é bom para o futebol de Santa Catarina. Nós estamos confiantes nos nossos clubes”, afirmou.

Confira a entrevista na íntegra:

Copa São Paulo

A edição 2019 da Copa São Paulo de Futebol Júnior será disputada por 128 equipes. Inicialmente Santa Catarina tinha direito a quatro vagas, via estadual: Figueirense, Chapecoense, Avaí e Atlético Tubarão. Rubinho Angelotti contou como a vaga do Criciúma foi conquistada, lamentando o Joinville ter ficado de fora.

“Isso vai do conhecimento e da amizade que eu fiz com o Reinaldo (presidente da Federação Paulista de Futebol). Desde que o Criciúma ficou fora eu venho cobrando dele a participação do Criciúma e também do Joinville, são duas equipes tradicionais de Santa Catarina, duas equipes com história no futebol brasileiro que não poderiam ficar de fora da Copa São Paulo, onde temos várias equipes sem expressão disputando, sem desmerecer”, explicou o presidente da FCF.