Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

"O caminho da recuperação a gente conhece"

Com as indústrias voltando a trabalhar com 100%, vice regional da Fiesc acredita em recuperação do setor
Gregório Silveira
Por Gregório Silveira Criciúma, SC, 28/10/2020 - 18:03Atualizado em 28/10/2020 - 18:14
Diomício Vidal otimista com a retomada da indústria / Arquivo / 4oito
Diomício Vidal otimista com a retomada da indústria / Arquivo / 4oito

Com a região Carbonífera evoluindo do risco grave para o alto no mapa que monitora o coronavírus em Santa Catarina, outro setor que poderá voltar a operar com 100% da capacidade instalada é o industrial. As unidades, quando a Amrec estava no risco grave, podiam funcionar apenas com 70% da capacidade e no gravíssimo com 50%.  

Para Diomício Vidal, vice-presidente Regional Sul da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) a notícia não poderia ser mais bem vinda. "Foi uma fase muito difícil para todo o setor, mas agora o governo fez o certo. O caminho da recuperação a gente conhece, basta deixar nós trabalharmos."

Domício também destaca que todas as medidas necessárias para evitar a proliferação do coronavírus já foram adotadas e vão continuar em prática. "Temos todo o cuidado e sempre teremos. Não queremos que a região volte a ter altos índices de coronavírus e por isso estamos sempre alerta."

Durante o período de recessão muitas das indústrias instaladas na Amrec tiveram que reduzir o quadro de funcionários para continuar com as portas abertas. De acordo com o vice-presidente Regional Sul da Fiesc, encontrar mão de obra especializada não vem sendo tarefa fácil. "Pode ver que nas fábricas sempre vai ter uma oportunidade de trabalho. O difícil está sendo encontrar profissionais. Outro complicador diz respeito a a matéria prima, que vem de outros estados, e que muitas vezes demorar a chegar. Mas agora podendo voltar a trabalhar com 100% dos funcionários já nos deixa muito mais feliz. Temos muita encomenda agora para o final do ano e com essa novidade vamos poder entregar tudo no tempo certo e ainda aceitar mais pedidos", conclui.