Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

O alerta para as piscinas abandonadas

No Rio Maina, um caso se arrasta há anos
Por Criciúma, SC, 05/04/2019 - 17:24Atualizado em 05/04/2019 - 17:24
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Piscinas abandonadas são questões de saúde pública. E mais um caso vem à tona em Criciúma. São anos que um caso desse se arrasta na Rua Virgílio Mondardo, no Rio Maina. E o pior: ela se localiza nos fundos de um condomínio com seis salas comerciais para aluguel, o que prejudica os negócios.

“Um dia precisei entrar nos fundos para subir no telhado para arrumar um vazamento. Quando cheguei e vi a piscina preta, cheia de limo, larvas dentro da água, bichos, toda abandonada”, relata um antigo locatário de uma das salas.

“Tem que formalizar uma denúncia para a Vigilância. Eles vão verificar e tomar as medidas cabíveis para o caso. Notificam o proprietário solicitando providências quanto à limpeza sob risco de multa”, comenta a gerente de Vigilância em Saúde do município de Criciúma, Suzana Vaz. O denunciante citado antes, que não quis se identificar, relatou o caso para a Vigilância, que notificou o proprietário e fez o mesmo limpar a piscina. 

“Ele limpou, falou para mim que ia limpar só porque a Vigilância mandou, não por ser um dever dele como cidadão. O dever dele é manter a piscina limpa, evitar que fique do jeito que ficou”, conta.

Quase três anos após essa limpeza, feita em 2016, a piscina volta ao mesmo estado de acúmulo de sujeira. O denunciante diz que conversou com o atual responsável pelo aluguel de uma das salas e o mesmo confirmou o atual estado da piscina. “O proprietário tem que limpar, muitas vezes só limpa se recebe uma autuação da Vigilância Sanitária”, conclui a gerente da Vigilância.