Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Novidade ao microfone: Time Som Maior ganha reforço

Denis Luciano integra o Futebol Som Maior e A Tribuna, além de apresentar o Jornal das Nove
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 14/02/2018 - 07:53Atualizado em 14/02/2018 - 11:56
(foto: Clara Floriano)
(foto: Clara Floriano)

A Rádio Som Maior passa a contar com um novo reforço a partir desta quarta-feira. O jornalista esportivo Denis Luciano, chega para reforçar a equipe do Futebol Som Maior, sendo setorista do Criciúma EC e acompanhando o clube durante a semana e os jogos. Luciano também será responsável pela editoria de Esporte do jornal A Tribuna. Além disso, apresentará o Jornal das Nove, programa que vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 9h da manhã, logo após o Programa Adelor Lessa.

O radialista já teve uma passagem curta pela Rádio Som Maior em 2013, quando trabalhou por cinco meses.

“Eu fiquei muito feliz com projeto que me foi apresentado, porque representa uma guinada na carreira. Eu vou ter possibilidade de apresentar o que eu sempre quis fazer. Viver o cotidiano de um time era algo que eu queria. Eu queria fazer algo diferente do que eu fazia, mas continuar no esporte. Lidar com o Criciúma, que eu já lidava há dez anos, e fazer algo mais vivo, me empolga e desafia mais. Estou bastante feliz”, contou.

Arthur Lessa, gerente de conteúdo,  e Marco Búrigo, coordenador da equipe de esportes, entregam camisa da Som Maior para Dênis (foto: Adelor Lessa)

Carreira

O contato com o rádio começou cedo. Natural de Rio Grande, no Rio Grande do Sul, aos seis anos já costumava acompanhar futebol em um radinho de pilhas que lhe foi dado pela avó. Também costumava ler jornais. “Ali eu comecei a tomar gosto pelo futebol, mas até então não me imaginava trabalhando na rádio”, contou.

Aos 15 anos foi convidado por um amigo do pai a trabalhar em um rádio local. “Eles precisavam recrutar pessoas para a equipe de esportes da cidade. Faltava alguém para fazer plantão do estúdio, então meu pai me olhou e disse ‘Leva o meu filho’. Ele me mandou fazer o teste. Eu comecei por acaso, tanto eu fui ter formação com 32 anos”, detalhou.

O jornalista conta que a paixão por esportes veio antes da paixão pelo rádio. “O novo não era o esporte, tinha noção dos times, campeonatos.  Difícil foi aprender as técnicas. Era um período em que eles facilitavam para os novos, por isso que consegui, mas havia um grau de exigência muito alto. Se trabalhava a questão da voz, tinha que ter vozeirão, tive sorte por isso também”, lembrou.

Em 2001, foi convidado a trabalhar em uma rádio de Porto Alegre, capital gaúcha. Já em 2007 veio para Criciúma, sempre atuando em rádios e, em paralelo, em portais de notícias e jornais da região. Versátil, o jornalista amante do esporte também domina outros temas como política, segurança e cotidiano.