Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Lotéricas e Diocese seguem decreto estadual

Decisão de isolamento social continua mesmo após liberação de Bolsonaro
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 26/03/2020 - 17:11Atualizado em 26/03/2020 - 17:17
Foto: Marciano Bortolin/4oito
Foto: Marciano Bortolin/4oito

Um decreto do presidente da República Jair Bolsonaro autoriza, entre outras, atividades religiosas e o funcionamento de casas lotéricas. O decreto de Bolsonaro também classifica como essenciais, entre outros, os serviços de geração e transmissão de energia, produção de petróleo, pesquisas científicas e laboratoriais e atividades médico-periciais.

Porém, em Criciúma e região, a Diocese e os empresários seguirão o decretado pelo governador Carlos Moisés da Silva, e permanecem em quarentena. “São mais sete dias de restrições. Depois do dia 31 vamos acompanhas as novas decisões do Estado”, fala o padre Joel Sávio.

Esta é também uma orientação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). “As missas estão sendo feitas de forma restrita, a partir de uma capela ou da casa do Bispo, somente com as pessoas necessárias para as celebrações”, diz.

Além das missas, todas as outras ações realizadas, como catequese, foram suspensas durante a quarentena.

Lotéricas

As casas lotéricas também permacenerão com as portas fechadas, porém devem retornar na segunra-feira. Conforme a NSC, o governador Carlos Moisés irá anunciar nesta quinta-feira, que, além das lotéricas, as agências bancárias também retomarão as atividades já na segunda-feira. A informação faz parte do Plano Estratégico de Retomada das Atividades Econômicas em SC, que também será detalhado.

Gilmar Cechet, proprietário de uma casa lotérica em Criciúma, relata que segue o decreto do Estado. “O decreto do governador conflita com o do presidente. É uma situação complicada. A despesa continua vindo. O mês continua e não tem receita nenhuma. Está se tornando uma coisa chata. Sabemos que isso é importante, mas daqui a pouco teremos alguns problemas. A saúde dos empresários também depende da saúde financeira. Está parecendo uma queda de braço com o governo federal. Esperamos que o governador esteja certo”, enfatiza.

Tags: coronavírus