Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Governador garante investimentos para o aeroporto de Jaguaruna

Com a posição, o Estado cumpre as várias exigências da Latam para retomada do voo
Por Francieli Oliveira Florianópolis, SC, 18/04/2019 - 15:45Atualizado em 18/04/2019 - 15:52
Reprodução / Facebook
Reprodução / Facebook

O governador Carlos Moisés (PSL) anunciou, nesta quarta-feira, que haverá investimento no Aeroporto Regional Sul Humberto Ghizzo Bortoluzzi, em Jaguaruna. Com a informação, o Estado atende a exigência da Latam para que os voos sejam retomados. A operação da companhia aérea está cancelada desde o dia 11 deste mês.

Moisés destacou a posição estratégica do Aeroporto de Jaguaruna, entre Florianópolis e Porto Alegre e ainda lembrou da possibilidade de mais voos serem viabilizados num futuro próximo. “Um aeroporto importante para o desenvolvimento da região Sul. A nossa decisão é fortalecer esse equipamento mesmo sabendo que a norma que regula essa atividade não exige que se disponha o combate a incêndio, mas nós sabemos que não devemos retroagir. Nossa decisão é fortalecer. Nós temos problemas com a unidade de combate a incêndio, vamos reformar o caminhão, vamos treinar o pessoal, aumentar o efetivo para que consiga desenvolver e não caminhar para trás, nós queremos caminhar para frente no sentido de fortalecer aquele aeroporto”, garantiu o governador.

Atualmente o aeroporto recebe uma média de 135 mil passageiros ao ano, abaixo dos 160 mil necessários para que a unidade de incêndio seja obrigatória. Porém, nos dias 8 a 10 de abril, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) esteve em Jaguaruna e emitiu uma notificação após constatar irregularidades na unidade de incêndio mantida no local. São necessários 13 bombeiros e, atualmente, são nove. Além disso, alguns profissionais estão com os cursos vencidos e o caminhão também precisa de reforma.

Mais de 500 mil ao ano

Para manter a brigada de incêndio no Aeroporto de Jaguaruna o custo é de R$ 560 mil ao ano com pessoal. Somam-se ainda R$ 35 mil com materiais, alimentação e combustível e R$ 15 mil por pessoa para o curso de habilitação.

Outra exigência é que os bombeiros que atuam no local precisem estar totalmente disponíveis, não podendo atender ocorrências fora do aeroporto.

Suspensão dos voos

Os voos da Latam foram suspenso na semana passada e o posicionamento da companhia aérea é que só opera se a brigada de incêndio cumprir todos os requisitos.

Já havia uma negociação entre a RDL, empresa responsável pela gestão do Regional Sul, Governo do Estado e Latam. A promessa era justamente essa de que o Estado se comprometia em atender as exigências. A Latam pediu até o dia 26 para analisar a proposta através do jurídico.

A Azul segue operando normalmente.

Canal de comunicação com a Latam
Em caso de dúvidas, os clientes podem entrar em contato com o call center da Latam pelos telefones 4002-5700 (nas capitais) ou 0300-570-5700 (nas demais localidades do Brasil).