Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Ginecologista explica os cuidados com uma gravidez tardia

A fertilidade começa a diminuir após os 37 anos, mas com cuidados, tudo ocorre da melhor maneira
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 17/01/2018 - 16:06
Ginecologista especializado em fertilidade humana, Juan Carlos Pou (Foto: Clara Floriano)
Ginecologista especializado em fertilidade humana, Juan Carlos Pou (Foto: Clara Floriano)

Com o passar da idade, as mulheres devem tomar mais cuidados durante a gravidez, principalmente após os 40 anos. A cantora Ivete Sangalo, de 45 anos, está grávida de gêmeos, resultado de fertilização in vitro. Congelar os óvulos é uma opção para quem deseja ser mãe mais tarde, reduzindo as chances de o bebê nascer com alguma má formação.

“Sem óvulos congelados, a cada 28 gravidez, de mulheres com 45 anos, em uma o bebê nasce com Síndrome de Down, esse índice é de um para cada mil, em mulheres com 18 anos. Só com essa síndrome, imagina a quantidade de malformações que temos”, explicou o ginecologista especializado em fertilidade humana, Juan Carlos Pou.

Todas as gestações após os 40 anos necessitam de mais cuidados, a diabetes gestacional é um problema que pode aparecer. As chances de parto prematuro também são maiores. 

“A fertilidade das mulheres começa a diminuir aos 37 anos, principalmente após os 40 anos. Não significa que não podem engravidar, mas as taxas caem muito. A paciente que decide se organizar para engravidar, pode sim congelar seus óvulos”, afirmou.

A evolução da medicina tem facilitado essa condição. Segundo o ginecologista, hoje as taxas de aborto são de 15%. O diagnóstico precoce, assim com o pré-natal, são fundamentais para a saúde da mãe e do bebê.