Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Giassi arremata terreno por R$ 11,5 milhões

Resultado do leilão de área defronte à PM servirá para pagar dívidas da Criciúma Construções
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 05/07/2019 - 14:47Atualizado em 05/07/2019 - 14:51
A área leiloada na Próspera / Divulgação
A área leiloada na Próspera / Divulgação

Uma boa notícia para a Criciúma Construções nesta sexta-feira. Foi arrematada por R$ 11,5 milhões em leilão uma área de 22 mil m² localizada no Bairro Próspera, às margens da Via Rápida e defronte ao Batalhão da Polícia Militar. A compra foi feita pelo Supermercado Giassi, que fará o pagamento à vista. O valor original de leilão, em primeiro arremate, era de R$ 18 milhões. A construtora era a proprietária.

"Foi um resultado muito bom, que servirá para quitar diversas pagamentos", confirma o gestor da recuperação judicial da Criciúma Construções, Zanoni Elias. Dos R$ 11,5 milhões, R$ 5,2 milhões serão usados para o pagamento de uma dívida judicial, R$ 1,7 milhão para quitar débitos com o INSS e o restante será empregado para sanear a Criciúma Construções do ponto de vista operacional. "Com esse resíduo será possível pagar as últimas dívidas trabalhistas, cerca de R$ 3 milhões, manter as despesas operacionais da empresa, colocar ela em condições de investir em loteamentos e também quitar os honorários da ação", informa Elias. "A empresa será oxigenada e ficará mais saudável", aponta.

Ainda não há prazo definido para a conclusão do processo, mas esse leilão faz avançar a recuperação judicial da Criciúma Construções, que está sendo preparada para voltar à gestão do proprietário, empresário Rogério Cizeski. "É possível que a recuperação judicial termine no segundo semestre deste ano e que possamos entregar a empresa saudável para a gestão do proprietário, essa decisão cabe ao juiz do processo", destaca Elias. O administrador informa que o proprietário já vem, com aval da Justiça, participando da rotina da construtora. "Sim, ele ajuda bastante, opina, participa com a sua experiência e futuramente deverá sim, conforme o processo ditar, reassumir o comando", conclui.

Confira também - Leilão de área vai pagar dívidas trabalhistas da Criciúma Construções