Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

"Estabilidade, crescimento e carvão 100% nacional", afirma executivo sobre futuro da Jorge Lacerda

Confira a entrevista exclusiva com o sócio da Fram Capital e membro do Conselho de Administração da Diamante, empresa que comprou a termelétrica
Letícia Ortolan
Por Letícia Ortolan Capivari de Baixo, SC, 19/10/2021 - 08:08Atualizado em 19/10/2021 - 09:11
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

A Usina Termelétrica Jorge Lacerda foi vendida nesta segunda-feira, 18, para a Fram Capital com a Diamente Geração de Energia. A venda foi feita pela Engie Brasil, que fechou em R$ 325 milhões. 

Em entrevista ao Programa Adelor Lessa, nesta terça-feira, 19, o sócio da Fram Capital e membro do Conselho de Administração da Diamante Geração de Energia, Nicolas Gutierrez Londono, declarou que isso será consequência de crescimento para a empresa. 

“Essa mudança de filosofia é importante, ainda teremos algumas conversas na próxima sexta-feira, mas a mensagem é de estabilidade e crescimento”, destacou Londono. 

Além disso, o sócio e conselheiro afirmou que a usina continuará operando 100% com o carvão nacional. E, segundo ele, isso é um dos grandes fatores que faz a empresa ser tão importante para a Região Sul de Santa Catarina e o país. 

O prefeito de Capivari de Baixo, município onde o complexo está situado, também participou da entrevista e comemorou o fechamento do contrato.

“Estamos muito contentes e felizes em saber que o grupo Fram adquiriu o Complexo Termelétrico”, disse o gestor municipal acrescentando que “gera riqueza não só para o nós, mas para toda cadeia produtiva da região”.

Ouça a entrevista completa na íntegra: