Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Employer Branding: definindo empresas para atrair novos talentos

Diretor de Inovação destaca a importância de se construir imagens coerentes em uma organização
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 01/10/2020 - 16:05Atualizado em 01/10/2020 - 16:05
Foto: reprodução
Foto: reprodução

Criar uma cultura organizacional dentro de uma empresa envolve muita coerência e responsabilidade. Quando a imagem divulgada pela organização não condiz com o que é visto dentro da mesma, os resultados podem acabar não sendo tão atrativos. É aí que entra o termo Employer Branding, ou “marca empregadora”, buscando definir a percepção profissional de dentro da instituição para atrair e reter novos talentos vindos do lado de fora.

De acordo com o Diretor de Inovação, Igor Drudi, trabalhar visando o Employer Branding acaba refletindo na construção de boas marcas, produtos e soluções para o mercado. “É como se a empresa estivesse se preparando para atrair novos clientes, mas são clientes internos”, ressaltou.

Drudi destaca ainda que é preciso que a empresa gere boas experiências de trabalho para que os profissionais construam, de forma coletiva, uma percepção coerente da marca - algo que pode acabar se tornando um diferencial para a própria organização. 

“É preciso ter um ambiente agradável e aderente ao que você promete ao mercado, sem frustrar as expectativas dos profissionais. Quem vai trabalhar na Ambev, por exemplo, sabe que a cultura de lá é mais pegada e de resultados, enquanto o Google trabalha muito com inovação e criatividade. Se é essa imagem que a organização passa, é preciso que a experiência interna seja a mesma”, pontuou.

A falta de uma imagem coerente com a divulgada pode gerar, além de frustração, prejuízos para as organizações. Igor Drudi afirma que é mais caro e difícil atrair talentos do que retê-los, e é por isso que um bom ambiente acaba se tornando essencial para uma organização. “Muitas vezes a empresa perde a mão nessa gestão dentro de casa, e só vai sentir essa dor quando perdem alguém e tem que contratar novamente”, destacou.