Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Empatou em casa, mas ficou satisfeito

Roberto Cavalo reconheceu qualidades do adversário e viu virtudes no Criciúma, mesmo com tropeço no HH
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 06/09/2020 - 18:58Atualizado em 06/09/2020 - 19:00
Cavalo gostou da atuação contra o Voltaço / Fotos: Celso da Luz / Criciúma EC
Cavalo gostou da atuação contra o Voltaço / Fotos: Celso da Luz / Criciúma EC

Empatar em casa é um tropeço, certo? Nem sempre. "Começamos muito bem, pressionando o Volta Redonda. Fizemos 1 a 0, jogo controlado, em uma jogada individual eles fizeram o gol de empate. Daí desestruturou o nosso time", avaliou o técnico Roberto Cavalo depois do 1 a 1 deste domingo, 6, no Heriberto Hülse. "Mas fizemos um bom jogo e estamos satisfeitos", apontou.

Com o resultado, o Tigre é terceiro colocado do Grupo B da Série C com 8 pontos. Volta a campo na sexta-feira, 11, às 20h, fora de casa, contra o Ituano. "A dificuldade foi que tivemos uma equipe forte na marcação, criamos boas chances com Jean e Andrew, não achamos o Michel nesse jogo, tentamos. Eu vi que tivemos um rendimento ofensivo melhor principalmente no segundo tempo", analisou.

Na análise do empate em casa, Cavalo lembrou que tomar o empate logo em seguida (o Tigre fez 1 a 0 aos 20 e tomou o empate aos 27) atrapalhou. "Atrapalha, 1 a 0 era outro jogo. No 1 a 1 nós temos que de novo correr atrás, é diferente, tem o ritmo, às vezes fica exposto. Quando se perde a bola para um time entrosado e bom como o Volta Redonda, a bola queima. Um time bem postado, adversário forte", comentou. "Daqui para a frente é pensar em uma evolução melhor tanto no primeiro quanto no segundo tempo", emendou.

Segundo tempo elogiado

O treinador gostou muito do que viu no segundo tempo. "No segundo tempo nós dominamos. Jogamos muito para cima, eles estavam fazendo a ligação direta, não lembro do Agenor ter trabalhado no segundo tempo, tivemos várias situações com a bola passando na área do Volta Redonda. Não tivemos chances claras, mas tivemos jogadas bem executadas pelos lados, infelizmente não achamos o gol", observou.

Cavalo com o auxiliar Wilson Vaterkemper

Em uma competição acirrada, a soma dos pontos é importante, reforçou o técnico. "Lógico que ficamos um pouco sentidos, queríamos e precisávamos desses dois pontos. Quando não dá para ganhar, não perca, principalmente em casa. Agora são dois jogos fora, temos que pensar primeiro no Ituano, vamos recuperar bem eses atletas", disse. 

Sem quedas

Cavalo não viu queda de produção em jogadores como Alisson Taddei e Jean Lucas. "Não vejo assim. Tem dia que não flui. Tem um Volta Redonda que nos analisou, você não joga mais sozinho. Por algumas vezes fomos bem marcados. O adversário fez boa marcação em nós. Eles não jogaram mal, pelo contrário", analisou.

Ele preferiu destacar a evolução do time. "A cada dia, no treino, no jogo. O trabalho faz o time evoluir, sim", frisou. "Nós queríamos, precisávamos dos três pontos. Temos um jogo a menos e estamos no G-4. Saímos na frente, tomamos um gol, tem a qualidade do adversário. O campeonato depende somente de nós. Um tropeço dentro de casa contra o líder, um time que vem entrosado, que fez um belo Campeonato Carioca, tem que ter respeito pelo adversário. Nós queríamos muito sim essa vitória", destacou.

Destaque, ainda, para o volante Foguinho. "O Foguinho é um destaque na Série C na posição, ele é bem marcado, todos analisam ele. O Luizinho me falou do Foguinho e do Andrew", observou. "Eles analisaram bem, estudaram o nosso time, e que mobilizou alguns setores. Mesmo assim, o Foguinho jogou bem no meu entender, não deixou a desejar", argumentou Cavalo.

Questionado sobre o desempenho da arbitragem, ele se esquivou. "Eu não falo mais, é problema de diretoria", finalizou.

Ouça a entrevista de Roberto Cavalo no podcast: