Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Dia de eleições na OAB

Os advogados escolhem novas diretorias da Ordem em nível local e estadual
Por Francieli Oliveira Criciúma, SC, 28/11/2018 - 08:27
Rafael Búrigo Serafim é o candidato único em Criciúma / Foto: Divulgação
Rafael Búrigo Serafim é o candidato único em Criciúma / Foto: Divulgação

Ao fim do dia de hoje serão conhecidas novas diretorias das 49 subseções e da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Santa Catarina. Também serão escolhidos os representantes da Caixa de Assistência (CAASC) e Conselho Fiscal da OAB/SC.

O procedimento é o mesmo utilizado nas eleições gerais. Na urna eletrônica, os profissionais da advocacia irão votar nas legendas de chapas de sua preferência. O primeiro voto indicará os candidatos escolhidos pelo eleitor para assumir a Seccional. Na sequência o voto nos representantes de sua subseção.

Em Criciúma, o voto poderá ser depositado nas urnas, das 9h às 17h, na sede da OAB. Aproximadamente 1,5 mil advogados são esperados para a votação. Apenas uma chapa concorre para a subseção da cidade, a Chapa 101, tendo como candidato a presidente Rafael Búrigo Serafim, e a vice Alisson Murilo Matos. Eles têm apoio do atual presidente da OAB Criciúma, Fábio Jeremias de Souza, que concorre como conselheiro federal na chapa estadual liderada por Rafael Horn e apoiada pela candidatura local.

“Foi uma jornada muito bonita, com grande receptividade dos colegas. Nossa campanha foi facilitada por estarmos lidando com duas gestões vencedoras, tanto em Criciúma com o atual presidente, Fabio Jeremias de Souza, quanto no Estado, com o presidente Paulo Brincas”, afirma Serafim. “Fizemos contato com mais de mil colegas nessa campanha e sentimos um reconhecimento muito grande da qualidade das duas gestões. Foi revigorante para nós, temos a certeza desse reconhecimento de forma espontânea”, avalia.

Duas chapas na eleição estadual

Para a diretoria da OAB Santa Catarina há disputa. Rafael Horn é o candidato apoiado pelo atual presidente Paulo Brincas e a oposição é liderada por Hélio Brasil. São cerca de 30 mil advogados aptos a votar.

Rafael Horn encabeça a “Chapa 81 – Advocacia Unida” com Maurício Voos como candidato a vice e Claudia Prudêncio, candidata à presidência da CAASC.

“Nosso grupo se reuniu em torno de ideias. É isso o que nos diferencia. Nossas ideias nos impulsionam a trabalhar por uma OAB/SC ainda mais eficiente, inovadora e inclusiva, no que toca a uma maior participação de toda a advocacia na instituição, incluindo mulheres e jovens, e aproximando todas as categorias da advocacia. Esse é um diferencial. Outro é que nossas propostas são responsáveis, pautadas naquilo que efetivamente é possível de realizar, com a manutenção da sustentabilidade financeira que conquistamos na Seccional”, explica Horn.

Uma das propostas da Chapa 81 é manter o congelamento responsável do valor da anuidade paga pela advocacia, com redução progressiva das taxas e emolumentos da OAB/SC, e manter o atual desconto no valor da anuidade para a jovem advocacia, como incentivo e apoio ao início da carreira.

Hélio Rubens Brasil lidera a “Chapa 82 – A Ordem Agora é Mudar”. Oposição à atual diretoria, a chapa tem como candidato a vice-presidente a criciumense Andréia Dota Vieira. A presidência da CAASC é disputada por Lethícia Ferreira.

Trabalhar prioritariamente para o fortalecimento das advogadas e advogados individuais, pequenos e médios escritórios que representam 90% da nossa classe. Assegurar a independência da Ordem, mantendo diálogo com os poderes constituídos, mas sem aceitar qualquer tipo de interferência externa. Manter um equilíbrio nas nomeações entre mulheres e homens para que se tenha uma participação equânime. Valorizar a advocacia do interior e viabilizar de maneira efetiva a autonomia financeira das subseções. Trabalhar para que o Tribunal de Ética da OAB atue primordialmente de forma preventiva e não apenas punitiva são as propostas destacadas por Brasil.

Sobre a proposta de redução de 25% no valor da anuidade, o candidato coloca que “é muito importante porque a nossa anuidade é uma das mais caras do país. Temos aproximadamente 40 mil advogados em Santa Catarina e temos apenas cerca de 30 mil aptos a votar, ou seja, a inadimplência aumentou bastante em virtude disso. É possível, sim, fazer esta redução sem comprometer a gestão”, finaliza.