Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Deputado vai pedir ajuda de Jair Bolsonaro para manter gigante do setor de energia no sul

Empresa planeja não trabalhar mais com carvão mineral, uma das principais atividades da região
Gregório Silveira
Por Gregório Silveira Capivari de Baixo, SC, 07/12/2020 - 13:01Atualizado em 07/12/2020 - 13:08
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O anúncio feito pela Engie, gigante do setor de energia, de que pretende parar as atividades em Capivari de Baixo, na região de Laguna, gerou grande mobilização na manhã dessa segunda-feira, 07. Segundo autoridades o impacto da medida é bastante danoso para a economia da região sul de Santa Catarina. Seriam pelo menos 20 mil empregos e queda brusca na arrecadação dos municípios.

O deputado federal Daniel Freitas, que representa Criciúma e região, trabalha para manter as atividades da empresa por pelo menos mais um tempo, para que a transição seja feita de forma segura. "Nosso trabalho agora é para que a Engie permaneça com atividades em Capivari de Baixo pelo menos até 2035. Uma saída brusca vai gerar marcas negativas em toda a economia do sul catarinense."

Daniel Freitas, que também faz parte da frente parlamentar em apoio ao carvão mineral, ainda afirma que o presidente Jair Bolsonaro será acionado para auxiliar na permanência das atividades. "Vamos colocar o planalto nessa conversa. Não há como não se dar conta da importância que a atividade representa para Santa Catarina."

Próximos passos 
O deputado federal Daniel Freitas, agendou para a próxima quarta-feira, 09, audiência com o Ministro de Minas E Energia, Bento Albuquerque, para falar sobre a anúncio de desativação do Complexo Termoelétrico Jorge Lacerda, em Capivari de Baixo. O objetivo é tentar reverter a decisão.