Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Deputada Paulinha aceita críticas, mas não violência

Parlamentar foi motivo de comentários por causa do decote no dia da posse
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 07/02/2019 - 08:26Atualizado em 07/02/2019 - 08:51
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

Chamou atenção no dia da posse na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) o tratamento dado a deputada Paulinha. Ela estava usando um macacão vermelho, decotado. Logo ataques começaram nas redes sociais, por meio de comentários ofensivos. Em entrevista ao Programa Adelor Lessa, ela, que é ex-prefeita de Bombinhas, falou sobre a reação de seus colegas de casa e disse que não vai mudar o estilo.

“Eu jamais imaginei que uma roupa poderia causar isso tudo. Eu tenho um jeito de me vestir, mas nada muito diferente das outras mulheres”, disse Paulinha. “Com muito carinho recebo o manifesto daqueles que acham que minha roupa estava inapropriada. A pessoa é pública e sabe que está no crível da crítica. O que eu não aceito são os atos de violência que foram praticados, isso aí não”, emendou.

Afirmou que em nenhum momento se sentiu constrangida na Alesc. Recebeu apoio de seus colegas, como Ana Caroline Campagnolo, com quem já teve desavenças. A deputada lembrou que não vive de decotes, mas que vai sim utilizar “roupas mais femininas” quando achar que é preciso. Frisou ainda que vai se dedicar mais, para que não fique com esse estigma.

“No momento da posse, ninguém comentou, não tocaram no assunto. Tudo transcorreu normalmente. O meu traje estava de acordo com as necessidades, dizia que era traje completo, então eu tava assim, e nós mulheres somos assim, nos vestimos conforme o estado de espírito. Eu não estava mal vestida, eu não tava pelada, tinha um singelo decote”. 

Mais apoio para as catarinenses

A deputada Paulinha acredita que as mulheres catarinenses merecerem mais respeito, já que segundo ela, tem surgido uma cultura tradicionalista no estado. “Estamos numa onda de conservadorismo, Santa Catarina é o quarto estado que mais maltrata suas mulheres. Isso acontece porque existe um machismo escondido e patrocinado por outras mulheres”, garantiu.

Confira a entrevista na íntegra:

Tags: paulinha