Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Dentista que confessou ter matado namorado será levada a júri popular

Caso ocorreu em 7 de dezembro de 2015 e confissão veio quase um ano e meio depois
Por Vanessa Amando Forquilhinha, SC, 19/02/2019 - 06:32

A juíza Luciana Lampert Malgarin, titular da Vara Única da comarca de Forquilhinha, determinou que a dentista Jaqueline Duarte Amboni, de 33 anos, que confessou o assassinato do então namorado, Valcionir da Rosa, de 26 anos, será julgada pelo Tribunal do Júri pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e ocultação de cadáver. Cabe recurso da decisão.

O caso ocorreu em 7 de dezembro de 2015, em Forquilhinha. Segundo a denúncia do Ministério Público, a ré, motivada pelo desejo de colocar um fim no relacionamento conturbado, que durou cerca de um ano, e também para se vingar de uma discussão ocorrida no dia anterior ao crime, desferiu golpes de faca na vítima, a qual veio a óbito.

Após o homicídio, a mulher, com ajuda de seu pai, enrolou o corpo da vítima em cobertores, o levou até o município de Balneário Arroio do Silva, a 40 quilômetros de distância do local do crime, e o enterrou em uma vala em local ermo. Quase um ano e meio após o fato, e já sendo apontada como autora através da investigação pelo desaparecimento do homem, a ré confessou o homicídio e somente então os restos mortais de Valcionir foram localizados.

Jaqueline afirma que era agredida por ele, inclusive ela já havia registrado Boletins de Ocorrência antes do crime, e seus advogados alegam que ela agiu em legitima defesa. Como a prisão não foi em flagrante, a dentista responde em liberdade. O pai da acusada responde pelo crime de ocultação de cadáver em processo separado.