Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Décio e Merisio, Bolsonaro e Haddad na frente em Criciúma

Pesquisa realizada pelo IPC em Criciúma mostra que o candidato do PT conquistou novas intenções de votos; Merisio, do PSD, dobrou a pontuação e ocupa o segundo lugar entre os entrevistados
Por Francieli Oliveira Criciúma, SC, 18/09/2018 - 06:55Atualizado em 18/09/2018 - 08:04

Os números do levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Catarinense (IPC) mostram que Décio Lima, candidato do PT ao Governo do Estado, segue na preferência dos criciumenses. No segundo lugar aparece Gelson Merisio (PSD), seguido por Mauro Mariani (MDB) e Comandante Moisés (PSL), todos muito próximos. Nem mesmo Décio Lima ultrapassa a casa dos 20%. A pesquisa foi encomendada pela Rádio Som Maior e realizada em todas as regiões de Criciúma.

Décio Lima foi citado por 16,48% dos entrevistados, subindo mais de três pontos em relação à pesquisa realizada em agosto, quando ele obteve 13,28%. Merisio passou do terceiro para o segundo lugar, dobrando suas intenções de votos. O candidato do PSD passou dos 6,40% para 13,28%.

Mauro Mariani também cresceu, mas, mesmo assim, caiu para o terceiro lugar. O candidato do MDB tinha 8,64% em agosto e agora tem 12,16%. O candidato do PSL, Comandante Moisés, também apresentou crescimento e passou dos 5,28% para 7,04%.

A diferença do quarto lugar para o primeiro é de 9,44%. Considerando a margem de erro, que é de 3,9% para mais ou para menos, há empate técnico na maioria das posições.

Os demais candidatos não somam mais do que 1% de intenções de votos. Ingrid Assis (PSTU) tem 0,80%, Ângelo Castro (PCO), Rogério Portanova (Rede) e Jessé Pereira (Patriota) aparecem com 0,64%. Lembrando que Castro teve a candidatura indeferida, ontem, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Leonel Camasão, do PSOL, recebeu 0,32% das intenções de votos.

Apesar de ainda ser grande, o índice de eleitores que não sabem em quem vão votar diminuiu, passando de 40,80% para 36,64%. Já os eleitores que disseram que vão anular o voto ou votar em branco passaram de 19,68% para 11,36%.

Bolsonaro amplia vantagem; Haddad em segundo

Quando o cenário é sobre a candidatura para a Presidência da República, há uma consolidação cada vez maior de Jair Bolsonaro (PSL), em Criciúma. A novidade trazida pela pesquisa IPC é que o candidato do PT, Fernando Haddad, passou para o segundo lugar. Também há crescimento da candidatura de João Amoêdo, do Novo, na cidade, que está à frente de nomes como Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT).

A tendência de que Bolsonaro fará grande votação em Criciúma vem se confirmando a cada pesquisa. Em agosto, o candidato do PSL possuía 34,24% das intenções de votos e agora passou para 46,88%. Somando todos os demais candidatos, o percentual chega a 28,32%.

Fernando Haddad foi oficializado na semana passada como o candidato substituto de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e somou 8% na pesquisa de agora. Em agosto, o nome colocado foi de Lula que obteve 18,08% das intenções de votos.

João Amoêdo, que esteve em Criciúma na sexta-feira, está com 4,64%. Em agosto, ele tinha 1,76%. Ciro Gomes também apresentou crescimento e passou de 2,08% para 4,48%. Geraldo Alckmin, que também visitou Criciúma recentemente, passou de 3,68% para 4,16%.

Já Marina Silva (Rede) caiu de 4,96% para 2,88%. Henrique Meirelles (MDB) subiu de 0,48% para 1,76%. Álvaro Dias (Podemos) passou de 3,04% para 1,28%. Vera do PSTU passou de 0,48% para 0,64%. Eymael (DC) manteve os 0,16%. Guilherme Boulos (PSOL) passou de 0,48% para 0,16%. Cabo Daciolo (Patriota) passou de 0,80% para 0,16% e João Goulart Filho (PPL) tinha 0,48% e agora aparece com 0%. 

O número de eleitores indecisos passou de 15,36% para 18,72% e os que declararam a intenção de votar nulo ou em branco caiu de 13,92% para 6,08%.

Dados da pesquisa IPC

 

A pesquisa foi realizada pelo Instituto de Pesquisa Catarinense LTDA (IPC) a pedido da Rádio Som Maior FM Ltda. Os dados foram coletados em 14, 15 e 16 de setembro de 2018, sendo que a margem de erro máxima é de 3,9% e o nível de confiança de 95%. Foram 625 entrevistas.
A pesquisa foi registrada sob o número BR-09955/2018 e SC-08129/2018 em 11 de setembro de 2018. Os dados referentes ao registro estão disponíveis no site: http://www.tse.jus.br/eleitor-e-eleicoes/eleicoes/pesquisa-eleitorais.