Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS INFORMAÇÕES DAS ELEIÇÕES 2024!

Como ser criativo na educação? Referência no assunto no Brasil explica (VÍDEO)

Diego Piovesan, professor de Criciúma, é considerado um dos mais criativos do país

Por Giovana Bordignon Criciúma, SC, 25/11/2022 - 16:20 Atualizado em 25/11/2022 - 16:21
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Quer receber notícias como esta em seu Whatsapp? Clique aqui e entre para nosso grupo

Inovar e transformar a maneira de lecionar é um desafio com todas as distrações presentes no mundo de hoje. Apesar disso, o publicitário e professor Diego Piovesan Medeiros, da Unisatc, se destacou nacionalmente. O profissional entrou para o Guia dos Professores Mais Criativos do Brasil. Com isso, ele explicou como é possível ser criativo na educação atualmente.

Assista a entrevista completa no canal do YouTube do 60 Minutos:

[a matéria continua após o vídeo]

Natural de Criciúma, Piovesan sempre foi incentivado a ser criativo. “Eu recebi muito estímulo durante a infância para desenhar ou criar coisas. Desde muito cedo comecei a brincar de Lego e trabalhar minha imaginação dentro do processo”, conta. Depois disso, na adolescência, ele começou a se perguntar que profissão ele poderia fazer para continuar fazendo o que gostava: desenhar.

“Na região, a gente tinha um curso técnico de Desenho Industrial na Satc, que foi o mais próximo que eu poderia fazer nos meus 14 anos. Ali, eu aprendi desde o Deserto Tetônico, Artístico, Publicitário e comecei a utilizar essa técnica e entender como isso poderia se tornar profissão”, comenta o publicitário.

Desde a sua formação no curso técnico, aos 17 anos, Piovesan começou a trabalhar em uma agência publicitária. Só em 2008 ele começou a lecionar. E, hoje, se tornou um dos professores mais criativos do Brasil pela iniciativa da Perestroika, uma das maiores escolas de criatividade do país. Um dos métodos que ele julga muito importantes na educação, é a questão prática.

“Uma das coisas que eu acho mágica é que eu falo algo em sala de aula, dou um exemplo, e os alunos, quando estão no mercado de trabalho, percebem que é assim mesmo. A gente precisa tirar essa abstração da cabeça do aluno, porque para a gente é mais fácil falar e discutir, mas ele precisa vivenciar. A vivência fortalece o discurso de prática”, destaca o professor.

Copyright © 2022.
Todos os direitos reservados ao Portal 4oito