Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Chuva alaga bairros em Cocal do Sul e Urussanga

Temporal começou por volta das 16h15min e seguiu sem intervalos até a noite
Por Bruna Borges Cocal do Sul, 01/02/2019 - 21:56Atualizado em 01/02/2019 - 22:03
Corpo de Bombeiros
Corpo de Bombeiros

A chuva voltou a causar estragos pela Região Sul e deixou bairros alagados nesta sexta-feira. As piores situações foram registradas nas cidades vizinhas Cocal do Sul e Urussanga. 

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Cocal do Sul, Nilton Gonçalves, o temporal começou por volta das 16h15min e se estendeu até o período da noite, sem intervalos. “Ainda não temos os dados oficiais, mas eu acredito que tenha chovido nesse período aproximadamente 70% do que era esperado para o mês todo na cidade”, afirma Gonçalves.

Os bairros mais atingidos com alagamentos foram Jardim Itália, Jardim Elizabete, Cristo Rei, Vila Nova e Centro. Ainda nesta sexta a Secretaria Municipal de Obras começou o trabalho de desobstrução de bueiros para tentar auxiliar no escoamento da água. As equipes da Defesa Civil, secretarias de Assistência Social e de Obras de Urussanga também seguem nas ruas para atender os atingidos. 

Pessoas ficam ilhadas

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, em Urussanga funcionários de uma empresa ficaram ilhados após a altura da água no local chegar a um metro e meio. Para fazer o resgate do grupo os bombeiros tiveram que utilizar uma embarcação.

Já em Cocal do Sul houve o registro de residências onde a altura da água chegou a aproximadamente meio metro, mas, abordados pelos profissionais do resgate, os moradores não quiseram deixar os seus lares. 

Estragos do vendaval 

O alto volume de chuva veio um dia após Cocal do Sul já ter sofrido com outro problema climático. “No dia 31 (quinta-feira) nós já tivemos o vendaval, com destelhamentos e quedas de árvores. Hoje o problema foram os alagamentos”, comenta Gonçalves. 

O vendaval de quinta-feira provocou, ainda, a queda de uma parede de um galpão desativado, o destelhamento de uma escola municipal, danos na cobertura e na estrutura de um galpão de atividade rural e danos em uma ponte sobre o Rio Cocal.