Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Cavalo e o Tigre: "estamos no caminho certo"

Técnico lamentou as chances perdidas pelo Criciúma na derrota para o Tombense
Denis Luciano
Por Denis Luciano Tombos, MG, 30/09/2020 - 22:48Atualizado em 01/10/2020 - 11:10
Fotos: Celso da Luz / Criciúma EC
Fotos: Celso da Luz / Criciúma EC

Com a derrota da noite desta quarta-feira, 1 a 0 para o Tombense em Tombos, interior de Minas Gerais, o Criciúma ainda está no G-4 do Grupo B da Série C. Mas já contabiliza duas derrotas consecutivas fora de casa na competição.

"No primeiro tempo nós tivemos posse de bola segura, primeiro tempo igual. Começamos a envolver um pouco o Tombense, mas não foi o suficiente. Tivemos uma chance muito boa com o Carlos de cabeça, estava sozinho na bola e desperdiçou a chance. E o Agenor meteu uma bola boa no Léo Ceará, no contra-ataque saiu o gol", avaliou. "Depois que eles fizeram o gol, eles jogaram muito atrás. Teria que ter jogada individual, tabela, mas isso não fluiu. Tombense aplicada na marcação, tentamos de todas as maneiras mas não conseguimos empatar o jogo", destacou.

Agora, o próximo compromisso é contra o Brusque. O treinador concordou que essa derrota deixou as coisas um pouco mais difíceis. "Sempre, quando perde. Mas estamos no caminho certo, é pensar no Brusque, sabemos que não é fácil lá. Mas vencendo o Brusque, chega a 15 pontos e faz a pontuação que projetamos", salientou.

Para Cavalo, o Criciúma não jogou tão mal desta vez. "O time não jogou tão mal assim. Criamos chances com o Léo Ceará, com o Thiago de cabeça. No segundo tempo eles não tiveram situações como tiveram no primeiro tempo. Quando tomamos o gol nos perdemos um pouco, o Agenor fez duas defesas consideradas milagres no primeiro tempo, no segundo tempo o Criciúma foi mais time", analisou. "O adversário marcou forte. Eles jogaram atrás, na marcação, buscando o contra-ataque, tiveram situações perigosas mas na recomposição neutralizamos as jogadas deles", emendou.

Ele concordou que as ausências dos volantes Eduardo e Foguinho pesaram. "O entrosamento, o Eduardo e o Foguinho estão há um ano juntos, a diferença é grande, o Foguinho é um líder, eles fizeram falta sim, são o coração do time no meio", salientou. Mas Cavalo discordou que a atuação em Tombos tenha sido abaixo da média. "Abaixo da média, não. Mas altos e baixos, sim. Fizemos um bom jogo em casa e dois ruins fora. Contra o Ituano empatamos, contra o Ypiranga perdemos e não criamos, hoje perdemos e criamos", constatou.

A volta de alguns desfalques desta partida poderá ajudar. Eduardo retorna, mas Foguinho depende de uma reavaliação. "Eu preciso ter o time todo à disposição. Com o Brusque temos dois desfalques de novo, o Victor fora e o Vitão com o terceiro", frisou. "Reforços é com a diretoria. Eles vão render mais, com certeza. O problema é manter, jogamos bem em casa e viemos desfalcados", analisou.

Cavalo compreende que o time pode render mais. "Muito mais. E eles tem mais pra dar", destacou. Ele fez as alterações nesta quarta com a expectativa de melhorar o desempenho da equipe. "Sempre pensando em melhorar. Estava perdendo o jogo, fizemos a primeira deixando dois centroavantes. Tivemos um desgaste na primeira mudança, do Cristofer que fez bom jogo, estava dando cãimbras. Abrimos os pontas, colocamos dois jogadores de velocidade, com o desgaste do Andrew e do Léo, entramos com Vinícius e Thiago, com foco o Thiago teria empatado", comentou.