Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Campeonato Catarinense deve ser paralisado por conta do coronavírus

Rubinho Angelotti, presidente da FCF, posicionou-se favoravelmente à suspensão, mas definirá em videoconferência com os clubes
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 16/03/2020 - 08:28Atualizado em 16/03/2020 - 08:29
Reunião desta segunda-feira será por videoconferência (Foto: Arquivo / Divulgação)
Reunião desta segunda-feira será por videoconferência (Foto: Arquivo / Divulgação)

Muitos estaduais tiveram a última rodada com portões fechados, ao contrário do Campeonato Catarinense. No entanto, novo posicionamento do presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Rubinho Angelotti, indica uma provável suspensão dos jogos por conta do coronavírus. Em entrevista ao Programa Adelor Lessa, da Rádio Som Maior, Rubinho disse que é uma questão de prudência paralisar o campeonato. 

"Uma pausa no Campeonato Catarinense representaria uma ameaça à continuação, mas a responsabilidade manda suspender. Não ter datas pode determinar o encerramento antecipado do Campeonato", disse Rubinho. De acordo com o dirigente, a videoconferência da tarde desta segunda-feira, 16, deve determinar o que acontecerá com o restante dos jogos.

"Farei uma videoconferência com os dirigentes para que cheguemos a um acordo. Vamos discutir se prevalece o encerramento de ontem, se quem ficou em primeiro é campeão e o último rebaixado. Ou encontrar uma solução para jogar esses jogos que faltam", avaliou.

Se o Campeonato for suspenso e determinar o campeão de acordo com a tabela atual, o Avaí seria o campeão, enquanto o Tubarão o provável rebaixado. As duas questões seriam decididas em mata-matas (o campeão a partir de quartas de final, com o Tigre incluído no bolo, enquanto o rebaixamento seria apenas dois jogos entre Tubarão e Concórdia). 

Rubinho reforçou o pensamento de paralisação e praticamente descartou o restante da competição com portões fechados. "Meu pensamento é de que a prudência manda parar. Se jogar com portões fechados, tem a questão dos atletas, que também são seres humanos", concluiu.

O comentarista do Timaço da Rádio Som Maior, João Nassif, posicionou-se favorável à suspensão do Campeonato e que deveria partir da própria Federação, sem a necessidade dessa videoconferência com os clubes.

"Minha opinião é de que tem que parar. Não precisa haver reunião de clubes, cada um pensa de uma forma e há muito interesse em jogo, especialmente financeiro. Isso tem que ser unilateral, tipo catenaço. Entendo a preocupação do Rubinho, de tentar ser democrático, mas nessa altura não adianta. Tem que ser como foi com a CBF, é uma questão muito séria, tem que parar e acabou", opinou Nassif.